Mercado fechado

Covas acusa Boulos de desespero e anuncia pagamento de auxílio emergencial para início de dezembro

Silvia Amorim
·1 minuto de leitura
Arquivo O GLOBO

SÃO PAULO — O candidato à reeleição à prefeitura de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou nesta quarta-feira ser "desespero" a decisão de Guilherme Boulos (PSOL) de acionar o tucano na Justiça por uso da máquina. Boulos questiona um áudio enviado pelo secretário municipal de Educação, Bruno Caetano, a uma lista de contatos com críticas ao psolista.

— O secretário tem toda a liberdade de, após o horário de expediente e usando o seu celular, fazer campanha para quem bem entende. Isso mostra o desespero na reta final ao tentar imputar ações caluniosas àqueles que estão no seu horário livre, usando seus próprios recursos e fazendo campanha para seus candidatos — disse Covas.

Após uma caminhada na Avenida Paulista, Covas anunciou para a primeira semana de dezembro o pagamento de um auxílio de R$ 100 aprovado durante a eleição pelos vereadores paulistanos para familias carentes já contempladas pelo Bolsa Família. A ajuda é para compensar perdas durante a pandemia.

O projeto foi de iniciativa do vereador Eduardo Suplicy (PT) e apoiado pelos aliados do prefeito. Covas foi perguntado se a liberação do pagamento para logo depois da eleição não poderia ser considerado abuso de poder econômico.

— Não. Isso foi aprovado bem antes e vamos pagar depois da eleição.