Mercado fechará em 2 h 8 min

Cosmonautas selam novamente vazamento de ar na Estação Espacial Internacional

Danielle Cassita
·2 minuto de leitura

O vazamento de ar que vem ocorrendo persistentemente há cerca de um ano na rachadura do módulo Zvezda, na Estação Espacial Internacional (ISS), recebeu com sucesso um novo conserto temporário, que deverá interromper a saída de ar — é o que apontam informações de um representante da Roscosmos, a agência espacial russa. Anteriormente, a tripulação havia tentado selar o vazamento com fita resistente ao calor.

Segundo o representante da Roscosmos, o cosmonauta Sergey Ryzhikov cobriu a rachadura de 4 cm de extensão com um remendo temporário feito de borracha e alumínio, e confirmou a nova selagem no local em que ocorre o vazamento de ar. Antes disso, ele retirou a fita resistente ao calor que cobria a rachadura, e limpou o local com um algodão umedecido com álcool.

O módulo russo Zvezda (Imagem: Reprodução/NASA)
O módulo russo Zvezda (Imagem: Reprodução/NASA)

Como resultado do controle do nível atmosférico e dados transmitidos pela tripulação às equipes em solo, é esperado que a causa do vazamento seja eliminado. Entretanto, essa não é uma solução definitiva, tanto que, de acordo com informações de Vladimir Solovyov, diretor de voo do segmento russo do laboratório orbital, existem planos para o envio de suprimentos de oxigênio e conserto que solucionem o problema de uma vez por todas. Apesar de haver a possibilidade de a rachadura ter sido causada por algum impacto externo no módulo, os especialistas da Roscosmos ainda não confirmaram se essa realmente foi a causa do problema.

Na verdade, esse vazamento foi detectado pela primeira vez em setembro do ano passado, quando houve indicações de um leve aumento na taxa de vazamento de ar padrão. Desde então, foram realizados diversos procedimentos para investigar a origem do problema, e os astronautas tiveram que se confinar no segmento russo da ISS algumas vezes enquanto as análises eram feitas. Já em setembro deste ano, foi finalmente confirmado que a origem do vazamento estava no módulo russo Zvezda. Vale lembrar que, apesar de inconveniente, este vazamento não causa riscos à tripulação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: