Mercado abrirá em 5 h 20 min
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,78
    +0,58 (+0,74%)
     
  • OURO

    1.767,30
    +3,60 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    16.867,50
    +404,94 (+2,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,76
    +12,03 (+3,10%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.268,82
    +64,14 (+0,35%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.533,25
    +8,50 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4623
    +0,0057 (+0,10%)
     

Cosan registra prejuízo de R$202 mi no 3º tri, apesar de Ebtida maior

Logo da Cosan

(Reuters) - A Cosan registrou prejuízo líquido de 201,9 milhões de reais no terceiro trimestre, ante lucro de 3,3 bilhões de reais em igual período de 2021, segundo balanço financeiro divulgado nesta sexta-feira.

O resultado foi atribuído pela companhia ao impacto dos efeitos extraordinários no período comparativo, além da queda do lucro da Raízen, parcialmente compensada pelo demais negócios do grupo.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado do conglomerado somou 4,1 bilhões de reais no período, representando um aumento de 19% na comparação anual, puxado pelo resultado recorde da Rumo e pelas consolidações da Commit na Compass e da PetroChoice na Moove.

A geração de caixa para acionistas (FCFE) entre julho e setembro foi de 6,9 bilhões de reais, reflexo da captação do empréstimo ponte de 8 bilhões de reais na Cosan utilizado na compra das ações da Vale.

O FCFE foi 17% inferior ao do terceiro trimestre de 2021, em função da integralização dos recursos oriundos do "IPO" da Raízen e da integralização da captação de recursos privados na Compass que ocorreram no ano de 2021.

A alavancagem da companhia saiu de 2,1 para 3,1 vezes, ano a ano, devido ao incremento da dívida líquida da Raízen resultante do consumo de caixa operacional para formação de estoques de começo de safra.

(Por Rafaella Barros)