Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    48.394,33
    +1.023,45 (+2,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Cosan inicia nova estratégia de investimentos com oferta por porto e JV em mineração

·2 minuto de leitura
Logo da Cosan em painel na B3, em São Paulo

SÃO PAULO (Reuters) - A Cosan anunciou nesta segunda-feira uma nova estratégia de investimentos por meio de uma estrutura de fundos, através da qual realizará aportes com recursos próprios e eventualmente de terceiros em novos negócios, conforme fato relevante divulgado ao mercado.

O movimento já inclui, segundo a empresa, a apresentação de uma proposta vinculante para a aquisição de 100% do TUP São Luís, terminal portuário de uso privado localizado na capital do Maranhão, por 720 milhões de reais, além da formação de uma joint venture no setor de mineração.

A oferta pelo porto foi enviada pela Atlântico --controlada da Cosan-- à São Luís Port Company, da chinesa CCCC, e aos acionistas minoritários que somam participação de 49% no terminal, disse a empresa.

O fechamento da operação está sujeito a condições precedentes, como aprovações regulatórias e concorrenciais, bem como a aprovações societárias da CCCC.

Além disso, a iniciativa ainda envolve a assinatura de um memorando de entendimento, também através da Atlântico, para entrada na área de mineração por meio de uma joint venture com o Grupo Paulo Brito, controlador da Aura Minerals, que irá explorar minério de ferro para escoamento pelo porto em questão.

O memorando prevê que a Atlântico deterá 37% do capital total e controle compartilhado da nova companhia --ou seja, 50% das ações ordinárias da empresa-- após o aporte do porto e de caixa, afirmou a Cosan.

"(A joint venture) será uma empresa integrada de mineração e logística, que possuirá, além do porto, direitos de exploração de ativos minerários em três projetos minerais localizados no Estado do Pará, com potencial importante de reservas de minério de ferro, a serem escoados pelo porto", detalhou a empresa.

O primeiro projeto mineral a ser explorado pela joint venture está localizado próximo a Parauapebas (PA), na região de Carajás, conectado ao porto pela estrada férrea de Carajás, e tem início de exploração previsto para 2025.

A nova companhia terá Juarez Saliba de Avelar, ex-Vale e CSN, como presidente-executivo, enquanto Julio Fontana será conselheiro e consultor sênior.

"A Cosan ingressa com um parceiro estratégico em um novo ramo de negócios, contribuindo sua expertise logística portuária e de gestão", afirmou a empresa.

(Por Gabriel Araujo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos