Mercado abrirá em 5 h 38 min
  • BOVESPA

    121.241,63
    +892,84 (+0,74%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.458,02
    +565,74 (+1,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,22
    -0,14 (-0,27%)
     
  • OURO

    1.835,90
    +6,00 (+0,33%)
     
  • BTC-USD

    36.536,50
    +94,77 (+0,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    718,68
    -16,46 (-2,24%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.720,65
    -15,06 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    29.436,31
    +573,54 (+1,99%)
     
  • NIKKEI

    28.633,46
    +391,25 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    12.910,50
    +108,25 (+0,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4045
    +0,0092 (+0,14%)
     

Cosan encaminha reorganização societária

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Cosan informou nesta quinta-feira que foram aprovados atos relativos a uma reorganização societária pretendida pelo conglomerado de energia e infraestrutura.

A reorganização consiste na incorporação de sociedades sob controle comum, por meio da qual a Cosan Limited (CZZ) e Cosan Log serão incorporadas pela Cosan.

A CZZ é atualmente a holding do Grupo Cosan responsável pela alocação de capital, gestão e governança dos ativos.

A Cosan Log é uma subsidiária direta da CZZ, e, por meio de sua controlada, Rumo S.A., atua no setor de serviços de logística de transporte ferroviário, armazenagem e carregamento portuário de bens, especialmente grãos e açúcar.

Entre os benefícios da incorporação estão o aumento da liquidez das ações do Cosan, ao concentrar os free floats da Cosan e Cosan Logística, além de Cosan Limited.

Ainda, a Cosan passará a ter ADSs negociados, com um acesso maior ao mercado de capitais.

O movimento facilitará futuras captações de recursos, inclusive por meio de ofertas públicas iniciais ou follow ons de outras companhias do Grupo Cosan.

Estima-se que os custos de realização da operação serão de 19 milhões de reais.

A operação pretendida dependerá da aprovação dos acionistas das companhias, reunidos nas respectivas assembleias gerais que irão deliberar sobre o tema.

(Por Roberto Samora)