Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.114,16
    -2.601,84 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.808,56
    -587,38 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,97
    +0,26 (+0,34%)
     
  • OURO

    1.637,00
    +3,60 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    19.275,91
    +398,74 (+2,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    442,87
    +9,77 (+2,26%)
     
  • S&P500

    3.655,04
    -38,19 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    29.260,81
    -329,60 (-1,11%)
     
  • FTSE

    7.020,95
    +2,35 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.605,50
    +173,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    11.392,25
    +76,00 (+0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1666
    -0,0128 (-0,25%)
     

Corticoides usados para asma prejudicam substância branca do cérebro

Em novo estudo publicado na BMJ Open, cientistas apontam que esteróides usados para asma (glicocorticóides) podem prejudicar a substância branca do cérebro, localizada nas partes profundas do órgão. A aparência branca — e diretamente responsável por seu nome — é resultado da substância gordurosa esbranquiçada que envolve os axônios, chamada bainha de mielina.

O papel da substância branca é permitir que a informação seja transmitida entre diferentes áreas da massa cinzenta. Está diretamente relacionada com o aprendizado e as funções cerebrais, coordenando a comunicação entre as diferentes regiões. Ainda há muito a ser descoberto sobre essa região, justamente por sua localização em tecidos tão profundos.

O estudo usou dados do UK BioBank para acompanhar 500 mil pessoas de 2006 a 2010. Dentre eles, 222 usavam glicocorticoides orais e 557 usavam glicocorticóides inaláveis.

Além da asma, esses glicocorticóides podem ser usados ​​para tratar alergias como rinite e doenças inflamatórias, tal como doenças da pele, lúpus, tendinite, esclerose múltipla, osteoartrite, e artrite reumatóide. No entanto, pesquisas anteriores ligaram o uso a longo prazo ao encolhimento de determinadas áreas do cérebro. Outro impacto que levanta alerta é na saúde mental, sendo ansiedade e depressão entendidas como possíveis consequências.

Esteróides usados para asma prejudicam a substância branca do cérebro, de acordo com estudo (Imagem: Anna Shvets/Envato)
Esteróides usados para asma prejudicam a substância branca do cérebro, de acordo com estudo (Imagem: Anna Shvets/Envato)

Conforme comentam os próprios autores, a ideia do estudo é mostrar até que ponto a matéria branca, necessária para os neurônios se conectarem, é afetada pelo uso de medicamentos. No entanto, os próprios especialistas destacam que "não há motivo para alarme".

Acontece que o efeito desses esteróides para asma na substância branca do cérebro é temporário: devido à plasticidade cerebral, capacidade que permite o cérebro reorganizar sua estrutura, funções ou conexões, o órgão pode "encolher" durante o uso desses esteróides, mas volta ao normal. Isso quer dizer que a substância branca pode se reparar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: