Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.754,13
    +1.471,85 (+1,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.412,03
    +73,69 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,20
    +0,97 (+1,34%)
     
  • OURO

    1.747,10
    -31,70 (-1,78%)
     
  • BTC-USD

    44.554,16
    +1.204,46 (+2,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.116,47
    +7,55 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.312,25
    +148,75 (+0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2242
    +0,0154 (+0,25%)
     

Corte de apelações da Flórida permite veto à obrigatoriedade de máscaras nas escolas

·2 minuto de leitura
(23 ago) Alunos usam máscara em escola da Flórida (AFP/CHANDAN KHANNA)

As autoridades da Flórida, nos EUA, poderão bloquear a imposição do uso de máscaras nas escolas públicas do estado, depois que uma corte de apelações suspendeu nesta sexta-feira (10) a decisão que permitia a obrigatoriedade do uso do acessório para reduzir as infecções por covid.

Esta decisão é o último capítulo de uma disputa entre o governador da Flórida, Ron DeSantis, que é contrário ao uso obrigatório de máscaras nas escolas, e vários distritos escolares que são favoráveis à medida.

Há 15 dias, o juiz John C. Cooper autorizou as escolas do estado a determinarem o uso de máscaras para alunos e funcionários, após uma ação apresentada por um grupo de pais de estudantes.

O governo estadual, por sua vez, recorreu rapidamente da decisão, que ficou suspensa, à espera do parecer da corte de apelações.

Porém, na última quarta-feira (8), o governo estadual sofreu uma nova derrota, pois o juiz Cooper decidiu que os distritos escolares tinham o direito de impor o uso obrigatório de máscaras, enquanto o recurso apresentado pelas autoridades ainda era analisado pelo tribunal.

Não satisfeito, o governo de DeSantis também recorreu dessa decisão e uma corte de Tallahassee, no norte do estado, lhe deu razão nesta sexta-feira (10).

"Quando um funcionário público ou uma agência apresentam um recurso, o que é o caso aqui, há uma presunção legal em favor da manutenção da suspensão", justificou a Corte de Apelações do Primeiro Distrito da Flórida.

Nas últimas semanas, 13 dos 67 distritos escolares existentes na Flórida decidiram impor o uso de máscaras em seus estabelecimentos, ignorando uma ordem executiva de DeSantis para proibir essa medida.

Por sua vez, o governo estadual puniu dois desses distritos, nos condados de Alachua e Broward, mediante a retirada de recursos equivalentes ao salário mensal dos membros de suas juntas diretoras.

Agora, com a decisão do tribunal de apelações, as autoridades poderão seguir sancionando os distritos escolares que não acatarem as suas ordens.

Contudo, o governo federal do democrata Joe Biden já ofereceu indícios de que compensará o dinheiro perdido por essas punições.

Nesse sentido, o Departamento de Educação norte-americano anunciou hoje a criação de um novo subsídio para cobrir qualquer multa ou bloqueio de recursos que pesarem sobre os distritos escolares que decidirem pela obrigatoriedade do uso de máscaras.

Desde o início do ano letivo na Flórida, em agosto, milhares de estudantes tiveram que permanecer em quarentena após serem infectados ou manterem contato com doentes de covid-19.

gma/yow/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos