Mercado fechado

Corsa de volta? Nova geração é registrada no Brasil

feedback@motor1.com (Nicolas Tavares)
Opel Corsa 2020

Hatchback aparece em imagens de patente, mas as chances de chegar ao nosso mercado são pequenas

Agora que a Opel é propriedade do Grupo PSA, houve quem tivesse esperança de que a marca começasse a operar no Brasil, trazendo de volta nomes consagrados como Corsa e Astra. Para atiçar a esperança dessas pessoas, e proteger o desenho industrial do carro, a PSA fez o registro de patente do hatchback compacto, como mostra o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Porém, as chances do Corsa voltar a ser vendido por aqui são remotas.

A nova geração do Corsa tem projeto bem diferente das anteriores. O Grupo PSA desenvolveu o veículo do zero e fez com que ele fosse montado com a plataforma CMP, a mesma dos novos Peugeot 208 e 2008. Até mesmo a motorização é igual, com o 1.2 aspirado de 75 cv nas versões mais básicas, 1.2 turbo de 100 cv nas intermediárias e 130 cv na variante GS Line, além da opção 1.5 diesel de 102 cv.

Mais sobre o novo Corsa

A semelhança com o novo 208 vai além, igualando também uma versão puramente elétrica chamada e-Corsa, equipada com motor elétrico de 136 cv e autonomia de 330 km. É capaz de recuperar 80% da carga das baterias em apenas 30 minutos com o uso de um carregador rápido. A Opel diz que ele acelera de 0 a 100 km/h em 8,1 segundos.

Opel Corsa 2020

Se tivesse chance de vir, o Corsa 2020 seria um bom concorrente para o segmento formado por Chevrolet Onix, Volkswagen Polo e, em breve, pelo irmão novo Peugeot 208. Conta com piloto automático adaptativo, alerta de ponto cego, reconhecimento de sinais de trânsito, assistente de estacionamento e central multimídia de 7 polegadas.

Embora o novo Corsa esteja registrado no país, trata-se de uma medida para impedir que alguém use seu visual sem permissão da PSA. Há um tempo, a empresa francesa disse que não descartava trazer alguns carros da Opel para nosso mercado, como o novo Astra ou a Zafira. Porém, o foco é melhorar a situação da Peugeot e da Citroën antes de pensar em introduzir mais uma marca por aqui...