Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.123,85
    -3.459,16 (-3,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.925,52
    -673,01 (-1,30%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,33
    -0,96 (-1,28%)
     
  • OURO

    1.736,30
    -1,20 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    41.474,31
    -1.052,89 (-2,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.023,24
    -33,91 (-3,21%)
     
  • S&P500

    4.352,63
    -90,48 (-2,04%)
     
  • DOW JONES

    34.299,99
    -569,38 (-1,63%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.225,13
    -275,26 (-1,12%)
     
  • NIKKEI

    29.441,07
    -742,89 (-2,46%)
     
  • NASDAQ

    14.816,75
    +52,00 (+0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3401
    -0,0025 (-0,04%)
     

Corretora tem mais de R$ 460 mi roubados em criptomoedas

·1 minuto de leitura
A corretora japonesa Liquid revelou ontem (19) que suas carteiras online haviam sido roubadas. Foto: Getty Images.
A corretora japonesa Liquid revelou ontem (19) que suas carteiras online haviam sido roubadas. Foto: Getty Images.
  • A corretora japonesa Liquid revelou ontem (19) que suas carteiras online haviam sido roubadas

  • Plataforma divulgou endereço de carteiras do hacker acusado

  • Roubo é mais um em uma série de ciberataques

A corretora de criptomoedas japonesa Liquid anunciou ontem (19) que havia sofrido um roubo de US$ 85 milhões em criptomoedas. “No momento, estamos investigando e forneceremos atualizações regulares. Enquanto isso, os depósitos e saques serão suspensos”, afirmou a empresa em seu perfil no Twitter.

No comunicado, a Liquid afirmou que o roubo aconteceu em suas hot wallets (“carteiras quentes” em inglês), termo que designa uma forma online de armazenamento de criptomoedas. Por estarem ligadas à rede, as hot wallets estão mais vulneráveis a ataques de hackers. Para proteger seus fundos, a plataforma afirmou que vai passar todos seus ativos de forma offline em cold wallets ("carteiras frias” em inglês).

Segundo a corretora, o dinheiro foi roubado em criptomoedas como bitcoin, ethereum e XRP. A empresa divulgou diversos endereços de blockchain que supostamente pertencem ao hacker e foram usadas para receber o dinheiro.

Na semana passada, a plataforma Poly Network também foi vítima de hackers — cerca de R$ 3 bilhões em criptomoedas foram roubados em um ciberataque. Alguns depois, o invasor devolveu todo o dinheiro, dizendo que sua intenção era mostrar ao público as fragilidades da plataforma.

As informações são do Decrypt.co.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos