Mercado abrirá em 1 h 36 min
  • BOVESPA

    107.829,73
    -891,85 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.335,51
    -713,54 (-1,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,21
    +1,07 (+1,39%)
     
  • OURO

    1.895,20
    +10,40 (+0,55%)
     
  • BTC-USD

    23.177,02
    +123,56 (+0,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    534,33
    +8,38 (+1,59%)
     
  • S&P500

    4.164,00
    +52,92 (+1,29%)
     
  • DOW JONES

    34.156,69
    +265,67 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.925,21
    +60,50 (+0,77%)
     
  • HANG SENG

    21.283,52
    -15,18 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    27.606,46
    -79,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    12.734,00
    -42,75 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5784
    +0,0013 (+0,02%)
     

Corretora que congelou saques cobra R$ 107 milhões do “Jesus do Bitcoin”

Roger Ver, conhecido Bitcoin Jesus pela comunidade Bitcoin.com e Bitcoin Cash
Roger Ver, conhecido Bitcoin Jesus pela comunidade Bitcoin.com e Bitcoin Cash

Em documento publicado na última segunda-feira (23), uma subsidiária da Genesis está cobrando R$ 107 milhões (US$ 20,9 mi) de Roger Ver, também conhecido como o “Jesus do Bitcoin” por evangelizar o Bitcoin em seus primórdios.

Em suma, a GGC International Ltd. alega que o montante refere-se a uma negociação não fechada, tendo expirado no dia 30 de dezembro do ano passado. Quanto a sua empresa-mãe, a Genesis declarou falência na última sexta-feira (20).

Portanto, essa pode ser uma medida para a empresa conseguir recuperar-se financeiramente enquanto seus credores aguardam uma solução. O maior nome afetado pela falência da Genesis foi a Gemini, corretora dos irmãos Winklevoss.

Roger Ver acusado de calote novamente

Essa não é a primeira vez que Roger Ver é acusado por uma corretora. Em junho do ano passado, a CoinFlex afirmava que o “Jesus do Bitcoin” devia R$ 221 milhões a eles. Na data, a corretora chegou a bloquear saques de outros clientes por insolvência. Ver negou tais acusações na época.

Agora é a vez de uma corretora ligada a falida Genesis disparar uma acusação semelhante, afirmando que Ver deve R$ 107 milhões por uma negociação mal sucedida.

Dono do Bitcoin.com, Roger Ver passou a ser odiado pela comunidade quando tentou promover o Bitcoin Cash (BCH) como o verdadeiro Bitcoin em 2017, usando o forte domínio de seu site para enganar os mais leigos.

Além disso, sua aposta no BCH também não deu certo. Embora tenha ameaçado o BTC em seu lançamento, o BCH já perdeu 98,72% em relação ao BTC desde então, o que ainda é motivo de piadas entre investidores.

“Isso é brutal”, comentou Cobra, responsável pelo site Bitcoin.org ao descobrir que “Roger Ver já teve 400.000 BTC em algum momento.” Hoje tal montante seria equivalente a R$ 47 bilhões.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Quanto a suas dívidas com corretoras, é difícil saber quais foram as negociações, mas é possível que estejam ligadas ao Bitcoin Cash.

Até o fechamento desta matéria, Roger Ver não comentou publicamente sobre o processo judicial que lhe cobra R$ 107 milhões.

Recente alta do Bitcoin pode ter ligação com a quebra da Genesis

Enquanto mais uma possível falência estava preocupando o mercado, a revelação do fato acabou ajudando o Bitcoin. Na última sexta-feira (20), logo após a Genesis entrar com pedido de recuperação judicial, o BTC disparou 8,7% no mesmo dia.

Portanto, o mercado pareceu contente em virar mais uma página, assim como fez com a FTX. Agora, cabe acompanhar até onde este contágio seguirá.

Uma das maiores preocupações são outras empresas do Digital Currency Group (DCG), empresa-mãe da Genesis, mas o processo de falência parece ter blindado as mesmas. Outra grande a ficar de olho é a Gemini, especialmente pela SEC também estar acompanhando o caso de perto.

Fonte: Corretora que congelou saques cobra R$ 107 milhões do “Jesus do Bitcoin”

Veja mais notícias sobre Bitcoin. Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.