Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.783,90
    +21,20 (+1,20%)
     
  • BTC-USD

    48.308,33
    -7.761,67 (-13,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Corretora de Londres oferece ‘férias ilimitadas’ contra burnout

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Depois de um ano de sucesso para os mercados de capitais e uma pandemia, o FinnCap Group, do distrito financeiro de Londres, permitirá que seus funcionários tirem quantas férias quiserem na esperança de evitar o esgotamento da equipe.

Most Read from Bloomberg

A corretora com sede em Londres está mudando sua política de férias para oferecer aos funcionários intervalos pagos ilimitados a partir de 2022, disse a CEO Sam Smith, em entrevista por telefone nesta quinta-feira. Os banqueiros de investimento, vendedores e outros funcionários deverão tirar pelo menos quatro semanas por ano e dois ou três dias por trimestre, segundo Smith.

“Não há um máximo, há um mínimo que você deve tirar”, afirmou. “O resto é com você.”

Smith -- cuja corretora recrutou mais de 30 pessoas até agora este ano para ajudar com o aumento da carga de trabalho -- disse que a política inclui outras medidas para garantir que os trabalhadores se sintam livres para tirar o máximo de férias possível.

A firma estabeleceu uma lista de atividades, de visitas ao veterinário a atendimentos de encanadores, que não contariam para o mínimo de quatro semanas.

A mudança foi projetada para ajudar a aliviar a pressão sobre os 155 funcionários do FinnCap durante uma época sem precedentes para os mercados de capitais. Esse privilégio é cada vez mais comum em empresas de tecnologia, mas as financeiras -- imersas em uma cultura de cobrança pesada de longas horas -- têm se adaptado mais lentamente.

“O esgotamento não é resolvido com uma férias rápidas de duas semanas”, disse Smith. “É resolvido mudando adequadamente a maneira como você trabalha.”

FinnCap oferece serviços de consultoria e finanças para clientes institucionais, bem como investidores ricos. Nesta quinta-feira, o grupo relatou seus melhores resultados nos seis meses até 30 de setembro, após um “período excepcionalmente ativo para a equipe de M&A (fusões e aquisições)” e forte demanda em unidades de mercado de capitais. A receita aumentou 55%, para 31,7 milhões de libras (US$ 43 milhões).

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos