Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,10 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,43 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    59.973,78
    -251,25 (-0,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,35 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,00 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,30 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,06 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Município de PE amontoa corpos a céu aberto; Especialista alerta para 'colapso funerário' por avanço da pandemia

·3 minuto de leitura
Moradores de município pernambucano registram corpos a céu aberto em cemitério - Foto: Reprodução
Moradores de município pernambucano registram corpos a céu aberto em cemitério - Foto: Reprodução
  • Corpos a céu aberto em município pernambucano alertam para colapso em sistema funerário

  • Moradora do local afirma que prática de ossadas a céu aberto são comuns no local

  • Prefeitura atual de Vitória de Santo Antão culpou gestão anterior pelo problema

Uma cena chocou os moradores da pequena Vitória de Santo Antão, em Pernambuco. Testemunhas relataram que ao passarem pelo Cemitério São Sebastião nesta quarta-feira (17) fizeram registros de ossadas e corpos em estado de decomposição amontados a céu aberto, sem nenhum tipo de cuidado. As informações são do UOL. 

Vitória de Santo Antão, que tem 139 mil habitantes, pode ter dado um principal sinal de colapso funerário no país, quadro que seria consequência das altas nos óbitos pela pandemia do novo coronavirus no Brasil. 

Leia também:

Ao UOL, contudo, uma moradora disse que essa prática não é inédita no município pernambucano. 

"Sempre tem esses sacos jogados por ali. Não é de hoje. As pessoas chegam para visitar e dão de cara com os corpos em decomposição. Um mau cheiro terrível", comentou a dona de casa Estela Ribeiro ao portal. 

Estela conta também que o município tem dificuldades de encontrar mão de obra para lidar com a atual demanda de corpos que estão sendo enterrados. 

"Já vi gente esperando horas para enterrar uma pessoa. Esperando um funcionário voltar do intervalo", relatou. 

Especialista alerta para possível colapso

Nesta quarta-feira (17), Brasil ultrapassou pela primeira vez média de duas mil mortes diárias - Foto: AP Photo/Andre Penner
Nesta quarta-feira (17), Brasil ultrapassou pela primeira vez média de duas mil mortes diárias - Foto: AP Photo/Andre Penner

Em uma rede social, Miguel Nicolelis, médico e conceituado cientista brasileiro, compartilhou imagens do episódio e reforçou o alerta para uma possível crise que o país pode vir a enfrentar no setor funerário

"O colapso funerário geralmente começa assim. Em pequenas cidades", escreveu o médico em seu perfil. Na noite desta quarta, ele compartilhou uma outra mensagem sobre o tema. 

"Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário emitiu recomendação às funerárias do Brasil para que elas suspendam férias de seus funcionários e que realizem outras medidas emergenciais com o avanço de mortes pela #COVID19". 

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O que diz a Prefeitura de Vitória de Santo Antão

Em nota enviada ao UOL, a Prefeitura do município admitiu o problema, mas apontou a administração anterior como a principal responsável. 

"Ao assumir a gestão, em janeiro deste ano, foi identificado o problema do descarte ilegal e sem respeito que era dado aos ossos de pessoas enterradas no cemitério", diz o comunicado.

Ainda conforme o UOL, a gestão atual disse que, depois de consultar a Procuradoria-Geral da cidade, realocará as ossadas para serem sepultadas em outros dois cemitérios do município que ficam na área rural.