Mercado fechado

9 empresas brasileiras que valorizaram na Bolsa durante a crise

A crise causada pela pandemia do coronavírus atingiu diversos setores da economia brasileira, mas alguns segmentos conseguiram se esquivar dos índices negativos ou se recuperar rapidamente.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Uma olhada na B3 nas variações de valor de mercado ao longo de abril, primeiro mês passado inteiro em quarentena, permite destacar as empresas que mais cresceram no período. Veja quais são:

1. Via Varejo S.A.

Valor: R$ 11,9 milhões. Aumento em relação a março: 73,8%

A gigante do comércio varejista responsável pelas redes de lojas Casas Bahia e Pontofrio se recuperou em abril de parte da queda sofrida ainda em fevereiro.

Leia também

2. Randon

Valor: R$ 3 milhões. Aumento em relação a março: 64,6%

O conglomerado gaúcho do setor automotivo fabrica tratores, caminhões, retroescavadeiras, autopeças e sistemas automotivos, entre outros produtos.

3. B2W Digital

Valor: R$ 40,7 milhões. Aumento em relação a março: 62%

A empresa de e-commerce que engloba as vendas digitais das Lojas Americanas, Submarino e Shoptime cresceu acompanhando o aumento de todo o setor durante a quarentena.

4. Minerva Foods

Valor: R$ 5,9 milhões. Aumento em relação a março: 54,7%

Embora menos falada que suas concorrentes JBS e BR Foods, a empresa de alimentos tem sido apontada como “oportunidade da década” para investimentos devido a seu crescimento.

5. Lojas Americanas

Valor: R$ 38,9 milhões. Aumento em relação a março: 43,7%

A empresa é a principal acionista da B2W e por isso também se saiu bem no último mês, acompanhando o crescimento de suas vendas digitais. Além disso, doou R$ 5 milhões para a construção de um hospital de campanha no Rio de Janeiro.

6. Marfrig

Valor: R$ 8,9 milhões. Aumento em relação a março: 41,3%

A segunda maior produtora de carne bovina do mundo foi beneficiada pela escassez de proteína animal na China e pelas exportações para os Estados Unidos.

7. Natura & Co.

Valor: R$ 43,1 milhões. Aumento em relação a março: 41,1%

A empresa dona das marcas Avon, Natura, The Body Shop e Aesop tomou atitudes como fabricação de álcool em gel para doar ao Governo do Estado de São Paulo durante a crise.

8. SulAmérica Seguros

Valor: R$ 18,7 milhões. Aumento em relação a março: 40,9%

O maior grupo segurador independente do Brasil tem mais de 7 milhões de clientes e recuperou em abril parte de sua queda em março

9. Cogna

Valor: R$ 10,5 milhões. Aumento em relação a março: 39,7%

A alta reflete a confiança dos investidores no ensino à distância, onde atua a empresa. Talvez uma das modalidades que mais crescerá no “novo normal”.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.