Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    43.778,83
    -3.294,90 (-7,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,99 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,29 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7495
    +0,0106 (+0,16%)
     

Coronavírus: Cresce percentual de vítimas com menos de 60 anos

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
Gravediggers carry the coffin of a COVID-19 victim at the Nossa Senhora Aparecida cemetery in Manaus, Amazonas state, Brazil, on January 22, 2021, amid the novel coronavirus pandemic. (Photo by MARCIO JAMES / AFP) (Photo by MARCIO JAMES/AFP via Getty Images)

Pela primeira vez em quase um ano, cresceu o percentual de pacientes mortos pelo novo coronavírus no Brasil que não são idosos. Em janeiro, na média, 24,9% das vítimas fatais da Covid-19 têm 60 anos ou menos, o que representa 1 a cada 4 óbitos provocados pela doença.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, o índice atingiu 32% (ou 1 a cada 3 mortos) no segundo mês da pandemia, em abril de 2020, quando pouco se sabia sobre possíveis tratamentos e muitos estados tentavam abrir hospitais de campanha e leitos de UTI. O percentual foi caindo com o passar dos meses, atingindo 23,1% em novembro e dezembro, segundo dados do Ministério da Saúde.

Leia também

“Existem alguns fatores de risco para a letalidade, a idade é um deles. Quando começa a morrer muito jovem, entendemos que é uma parcela que não precisaria estar morrendo. Isso acontece porque as condições ideais de assistência não estavam disponíveis”, afirmou à publicação Jaques Sztajnbok, médico intensivista e supervisor da UTI do Instituto de Infectologia Emilio Ribas, em São Paulo.

O crescimento da mortalidade em uma faixa etária considerada de menor risco para a doença pode ser observada em locais onde houve aumento de casos e da ocupação dos leitos hospitalares. O caso mais expressivo é o do Amazonas, onde 40,4% dos mortos por Covid-19 em janeiro tinham 60 anos ou menos. Em novembro, mês com menor número de óbitos no estado, a faixa etária respondia por 29,5% das vítimas.

“Em Manaus, vimos gente de 20 anos, 30 anos, morrendo. São pessoas cuja chance de sobrevivência na UTI é maior, mas não foram para UTI, morreram por falta de oxigênio”, disse Sztajnbok.

Até o momento, a faixa etária mais afetada pelo coronavírus é a de maiores de 70 anos (7,5% da população), que representa 50,7% dos mortos pela doença. Aqueles com 60 ou menos, por sua vez, correspondem a 85% dos brasileiros e 25,6% dos óbitos.