Mercado fechado

Coronavírus: Câmara do MPF investiga exclusão de dados do boletim diário pelo governo

BRASILIA, BRAZIL - JUNE 05: President of Brazil Jair Bolsonaro speaks with press at Alvorada Palace on June 05, 2020 in Brasilia, Brazil. Brazil has over 614,000 confirmed positive cases of Coronavirus and OVER 34,000 deaths. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)

A mudança na divulgação de dados de coronavírus, feita pelo Ministério da Saúde, será alvo de investigação. A Câmara de Direitos Sociais e Fiscalização de Atos Administrativos em Geral do Ministério Público Federal (MPF) instaurou neste sábado (6) um procedimento extrajudicial para apurar a alteração no formato e a exclusão número acumulado de mortes e de casos confirmados da doença.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

O Ministério da Saúde registrou 35.930 mortes pelo novo coronavírus até o último sábado (6), com 672.846 casos confirmados. A soma, porém, não foi disponibilizada pelo governo, que divulgou apenas os óbitos (904) e os diagnósticos positivos (27.075) nas últimas 24 horas.

Leia também

Segundo o portal G1, o despacho determina que o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, forneça em até 72 horas, informações detalhadas sobre o assunto. O documento foi assinado pela subprocuradora-geral da República, Célia Regina Delgado, e pelo procurador da República Edilson Vitorelli, coordenador do Grupo de Trabalho Saúde do MPF.

“Na hipótese de ser verdadeira a informação de que há pretensão do governo federal de rever quaisquer dados já divulgados, atinentes à pandemia, informar qual é a razão pela qual essa eventual correção não poderia ser efetuada, independentemente da supressão prévia de informações”, detalha um dos trechos do documento.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Na noite de sexta-feira (5), o site do ministério para coronavírus saiu do ar alegando “manutenção”. O governo ainda sinalizou que irá “recontar” as mais de 35 mil mortes por coronavírus.

No sábado, o presidente, creditando o Ministério da Saúde, justificou o atraso na divulgação de dados e indicou que o novo horário, das 22h, será fixo: “Para evitar subnotificação e inconsistências, o Ministério da Saúde optou pela divulgação às 22h, o que permite passar por esse processo completo. A divulgação entre 17h e 19h, ainda havia risco subnotificação. Os fluxos estão sendo padronizados e adequados para a melhor precisão”.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário