Mercado fechado

Coronavírus: com mortes em alta, isolamento social no Brasil cai para nível pré-quarentena

(Foto: Getty Images)

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus matando mais de mil pessoas por dia no Brasil, governos estaduais e municipais estão reabrindo aos poucos o comércio. São Paulo e Rio de Janeiro, os dois estados mais atingidos pela pandemia, já reabriram parte do comércio e outros serviços.

Isso já acarretou numa piora no índice de isolamento social, ferramenta tida por muitos especialistas como uma das mais eficazes para combater a doença nesse atual estágio.

Leia também:

Segundo o portal UOL, dados da consultoria In Loco, que usa informações de celulares para monitorar a movimentação de pessoas, mostraram que o País teve a pior marca em isolamento social desde antes da decretação da quarentena. Na segunda-feira, esse índice de isolamento chegou a 38,2% - a ferramenta consegue acompanhar até 60 milhões de dispositivos móveis de forma anônima.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

A última vez que houve um percentual mais baixo foi em 18 de março, com 36%, numa data que é anterior a alguns decretos de quarentena nos estados.

Desde então o Brasil registrou um aumento de medidas restritivas para evitar a proliferação do coronavírus. Esse índice esteve acima de 50% no final de março e oscilou entre 45% e 50% em abril.

Nas últimas três semanas, contudo, o distanciamento social tem caído constantemente. Na semana de 1º a 7 de junho, o índice ficou em 41,2% em média por dia no país. No período anterior, esse número era de 42,4%. Na outra semana, 44,1%.

Essa queda também aconteceu em São Paulo, onde o distanciamento social foi de apenas 41,5% em média por dia na semana de 1º a 7 de junho. Como no Brasil, o estado teve nesta segunda semana de junho seu mais baixo índice de isolamento desde março - 38,2% em 8 de junho.

No Rio de Janeiro, a segunda-feira teve um isolamento de 40,3%. A última vez que o estado teve um índice tão baixo foi em 17 de março, com 37,3%.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.