Mercado fechado

Coronavírus: Xi Jinping diz que cortará impostos de empresas impactadas pela epidemia

Jader Lazarini
Coronavírus: Xi Jinping diz que cortará impostos de empresas impactadas pela epidemia

O presidente da China, Xi Jinping, prometeu, nesta quarta-feira (12), que cortará os impostos das empresas impactadas pela epidemia do coronavírus (Covid-19), em uma tentativa de sustentar a economia do país.

De acordo com o banco norte-americano J.P. Morgan, o Produto Interno Bruto (PIB) chinês, que antes deveria ser de 4,9% no primeiro trimestre de 2020, deverá ser de 1%, devido à influência do coronavírus.

O presidente da segunda maior potência econômica do planeta, que também é secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista chinês, liderou uma reunião de emergência do partido para estabelecer medidas de controle do surto.

Confira: Ray Dalio entende como exagerado o impacto do coronavírus nos mercados

A declaração de Xi vem à tona após relatos de contínuos prejuízos de lojas, fábricas e empresas em decorrência das fortes medidas estipuladas pelo governo para conter a propagação da doença, como é o caso de Tesla, Samsung e Foxconn.

O medo pela ampliação do vírus fez com que a Rússia, Mongólia e Hong Kong fechassem as fronteiras com a China semanas atrás, por exemplo. O fluxo de pessoas no epicentro do coronavírus, na província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan, chegou a ser totalmente bloqueado.

Todavia, desde a última segunda-feira (10), as companhias chinesas vêm procurando retomar suas operações, muitas das empresas enfrentam problemas com a demanda e quebra nas cadeias de suprimentos.

“Pequim precisa manter a estabilidade da operação econômica e a harmonia social”, afirmou o presidente em discurso transmitido pela emissora estatal chinesa.

Alibaba se preocupa com o coronavírus

O Alibaba Group informou, na última segunda-feira (10), que a unidade MYBank da sua afiliada Ant Financial irá oferecer 20 bilhões de yuans (US$ 2,86 bilhões ou R$ 12,36 bilhões) na forma de empréstimos a companhias impactadas pelo surto do vírus na China.

A companhia afirmou que 50% do valor será disponibilizado para empresas em Hubei. Serão oferecidos empréstimos de 12 meses, com taxa de juros zero no primeiro trimestre e um desconto de 20% nas taxas no tempo restante.

Confira: Banco Mundial não cogita novos empréstimos à China

Companhias de todo o país também podem ter acesso aos outros 10 bilhões de yuans que serão emprestados por um ano. Neste caso, as taxas de juros serão reduzidas em 20%, segundo a empresa.

O coronavírus já matou mais de 1.100 pessoas e infectou mais de 45 mil, a grande maioria em território chinês, segundo os dados consolidados pela universidade norte-americana Johns Hopkins.