Mercado abrirá em 4 h 41 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,22
    +0,07 (+0,10%)
     
  • OURO

    1.814,90
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    38.915,16
    +958,75 (+2,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    963,58
    +36,82 (+3,97%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.121,10
    -2,76 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    26.225,47
    -201,08 (-0,76%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.087,50
    +14,00 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1463
    +0,0280 (+0,46%)
     

Coronavírus: por quanto tempo gotículas de saliva infectada podem ficar no ar?

·2 minuto de leitura

O uso de máscaras vem sendo obrigatório para a prevenção contra a COVID-19, já que o novo coronavírus se espalha facilmente apenas por gotículas de saliva de uma pessoa contaminada. Por isso, apenas o ato de conversar próximo a alguém que contraiu a doença pode ser perigoso.

A fim de entender melhor essa propagação, uma equipe de pesquisadores do National Institutes of Health (NIH), agência governamental norte-americana, realizou um estudo que mostrou que milhares de gotículas que saem da boca de alguém falando muito alto podem ficar no ar por cerca de 14 minutos.

Para realizar estes testes, pesquisadores pediram para que pessoas repetissem frases enquanto sensores de luz faziam a análise das gotículas produzidas, caindo em um ambiente fechado. Os cientistas ainda usaram dados de estudos passados que mostram o quanto de RNA viral pode ser encontrado em fluidos orais vindos de um paciente com a COVID-19. Então, chegaram à conclusão de que apenas um minuto de fala, em voz alta, é capaz de produzir pelo menos 1.000 gotículas com vírus, permanecendo no ar por entre oito e 14minutos.

<em>Imagem: Reprodução/Pixabay</em>
Imagem: Reprodução/Pixabay

O teste foi feito em um ambiente controlado, como destacam os cientistas, e não levou em conta mudanças de temperatura e formas de circulação do ar, não se tratando então de hipóteses mais relacionadas com o mundo real. Mesmo assim, a pesquisa alerta para que o simples ato de uma pessoa infectada pelo novo coronavírus falar em voz alta pode propagar a doença.

Os pesquisadores alertam também para o fato de que alguns pacientes produzem uma maior quantidade do vírus em comparação com a média, o que pode aumentar o número de gotículas contaminadas, com a possibilidade de chegar a 100 mil por minuto de fala. A descoberta dos cientistas reforça a necessidade do uso de máscaras sempre que uma pessoa for sair de casa.

O estudo completo pode ser conferido online.

Fonte: Canaltech

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos