Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,59
    +0,23 (+0,32%)
     
  • OURO

    1.785,20
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    50.420,20
    -29,79 (-0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.320,77
    +15,65 (+1,20%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.853,63
    -6,99 (-0,02%)
     
  • NASDAQ

    16.373,50
    -18,75 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2822
    +0,0081 (+0,13%)
     

Coronavírus pode ser elefante na sala ignorado por estrategistas

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Um novo choque da pandemia pode pegar operadores e estrategistas de investimento desprevenidos.

Most Read from Bloomberg

Enquanto países da Europa anunciam novas restrições que incluem lockdown total, relatórios de pesquisa que destacam riscos e oportunidades para 2022 parecem ignorar completamente o coronavírus. A palavra “lockdown” nem mesmo é mencionada em previsões para a Europa no ano que vem divulgadas pelo Goldman Sachs e Morgan Stanley.

Em levantamento do Bank of America esta semana, gestores de fundos classificaram a Covid-19 como apenas o quinto maior risco de cauda, sendo que apenas 5% mostraram preocupação sobre o possível impacto nos mercados. Inflação, aumento dos juros pelos bancos centrais, estagnação do crescimento chinês e bolhas de ativos estão no topo da lista.

Em relatório de 72 páginas sobre as perspectivas para 2022 divulgado esta semana, a UBS Global Wealth Management afirma que seu cenário central é que a atual onda da pandemia “não se intensifique a ponto de novos lockdowns serem necessários”. O relatório foi publicado um dia antes das restrições da Áustria e alertas de que a Alemanha pode ter que seguir pelo mesmo caminho.

Os mercados acionários europeus ainda sinalizam otimismo. Enquanto ações de viagens e lazer registraram forte queda com as notícias, o índice de referência Europe Stoxx 600 perdeu apenas 0,6% na sexta-feira, muito longe do pânico do mercado causado pelos lockdowns do ano passado.

Um relatório do HSBC de outubro detalhando o que poderia dar errado em 2022 talvez ajude a explicar a reação mais tranquila. Uma nova onda de Covid não precisa ser necessariamente uma má notícia para os mercados, porque “os sinais de superaquecimento da demanda podem desaparecer, o que reduziria a preocupação em torno da estagflação e do aperto prematuro dos bancos centrais”, escreveram estrategistas liderados por Max Kettner.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos