Mercado fechado

Coronavírus: OCDE prevê o menor crescimento global desde 2009

Jader Lazarini
Coronavírus: OCDE prevê o menor crescimento global desde 2009

O coronavírus (Covid-19) fará com que a economia global em 2020 cresça 2,4%, menor nível de expansão desde 2009, durante a crise financeira mundial. As projeções são da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A estimativa anterior da OCDE era um crescimento de 2,9%. "As perspectivas econômicas globais permanecem moderadas e muito incertas devido ao surto de coronavírus", destacou a organização em um relatório, citando o risco de retração na economia global na primeira metade deste ano.

A OCDE informou que espera um crescimento econômico chinês a uma taxa de 4,9%, frente a expectativa anterior de 5,7%, divulgada em novembro de 2019. Além disso, a organização espera que em 2021 a China volte a crescer em maior ritmo, a 6,4%.

"A principal mensagem para esse cenário de recuo é de que ele colocará muitos países em recessão, motivo pelo qual pedimos que medidas urgentes sejam adotadas nas áreas afetadas o mais rápido possível", informou Laurence Boone, economista-chefe da OCDE, à agência de notícias "Reuters".

Para os Estados Unidos, a estimativa de crescimento foi reduzida de 2% para 1,9% em 2020 e permaneceu em 2,1% para 2021. Na zona do euro, onde a epidemia vem se alastrando rapidamente, a expansão econômica foi estimada em 0,8%, ante 1,1% de quatro meses atrás. A Itália, local de maior concentração do coronavírus na Europa, deve permanecer estagnada.

Veja também: Os cinco principais riscos à economia global em 2020

No entanto, se o vírus se propagar pela Ásia, Europa e América do Norte, o crescimento global pode cair para 1,5% este ano, disse a organização. A OCDE salientou que os governos precisam dar suporte aos sistemas de saúde com subsídios extras ou benefícios fiscais para trabalhadores que fazem horas extras em seus empregos.

Para o Brasil, mesmo com o coronavírus a OCDE permaneceu com a expectativa do crescimento da economia de 1,7%. No ano que vem, a expansão deverá ser de 1,8%. A exemplo da organização internacional, os principais especialistas do mercado financeiro brasileiro diminuíram sua expectativa para o crescimento econômico do País. Segundo o Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central (BC) nesta segunda-feira (2), o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2020 será de 2,17%.