Mercado fechará em 2 mins

Coronavírus: 57% do setor de eletrônicos é afetado, diz Abinee

Arthur Oliveira
Coronavírus: 57% do setor de eletrônicos é afetado, diz Abinee

Um levantamento da Associação Brasileira de Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), divulgado nesta sexta-feira (21), aponta como a epidemia de coronavírus (covid-19) criará problemas para 57% das empresas do setor.

Segundo a pesquisa, os efeitos do coronavírus sobre os produtores chineses provocarão problemas no recebimento de materiais, componentes e insumos para as indústrias brasileiras do setor eletro-eletrônico.

O levantamento desta sexta é cinco pontos percentuais maior em comparação com o mesmo estudo realizado há duas semanas pela Associação.

Em nota divulgada, o Fundo Monetário Internacional (FMI) informou que a epidemia do coronavírus já freou o crescimento econômico da China. A crise na maior economia do planeta prejudica os negócios ao redor do mundo.

Segundo a instituição monetária internacional,a disseminação do novo vírus para outros países pode bloquear a recuperação econômica mundial em 2020.

Saiba mais: Coronavírus coloca recuperação da economia global em risco, diz FMI

Segundo a Abinee, os mais impactados foram os fabricantes de produtos da Tecnologia da Informação, como celulares e computadores. Cerca de 4% das fábricas pesquisadas paralisaram parcialmente suas atividades e 15% já tem interrupções programadas para os próximos dias.

Segundo o presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato, o levantamento revela a situação em que estão as indústrias que dependem de componentes externos. Considera, no entanto, que ainda não há risco de faltar produtos no mercado brasileiro, por enquanto.

“O problema só não é mais grave porque dispomos da produção local destes produtos”, declarou Barbato.

Coronavírus afeta fábricas brasileiras

De acordo com as empresas, a produção deve ficar 22% abaixo da esperada. Além disso, 7% das empresas entrevistadas informaram que não deverão atingir as metas de produção. Cerca de metade das empresas afirmaram que as projeções devem mantidas. 33% declarou que ainda não é possível estimar ainda.

Conforme o levantamento, a indústria deve demorar em média dois meses para normalizar o ritmo de produção, após a retomada dos insumos chineses.

Cerca de 42% dos componentes usados pela indústria dos eletrônicos é proveniente da China. Ao todo, foram contabilizados US$ 7,5 bilhões (cerca de R$ 32,8 bilhões) em importação no ano de 2019. O Brasil importa 38% dos produtos eletrônicos de outros países do continente asiático.

O levantamento contou com cerca de 50 indústrias de diversas áreas do setor de produtor eletrônicos. Para a Abinee, a epidemia do coronavírus abre espaço para pensar na atividade do setor de produção local de insumos eletrônicos.