Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,95
    -0,41 (-0,78%)
     
  • OURO

    1.818,90
    -11,00 (-0,60%)
     
  • BTC-USD

    35.698,10
    -236,06 (-0,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    695,73
    -39,41 (-5,36%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    28.315,52
    -203,66 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    12.762,00
    -40,25 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3832
    -0,0094 (-0,15%)
     

CoronaVac tem eficácia comprovada em teste no Brasil, diz jornal

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - NOVEMBER 19: In this photo illustration, a box of Sinovac Biotech coronavirus trial vaccine is displayed at Palacio Bandeirantes on November 19, 2020 in Sao Paulo, Brazil. The batch with the first 120,000 doses of the CoronaVac vaccine arrived in Sao Paulo today. The material imported from China is being developed by the Chinese laboratory Sinovac, in partnership with the Butantan Institute. CoronaVac is one of four candidates for the vaccine against coronavirus that are being tested in Brazil, but has not yet had authorization from the National Health Surveillance Agency (Anvisa) to be applied in Brazil. (Photo by Rodrigo Paiva/Getty Images)
Embalagem da CoronaVac, produzida pelo laboratório Sinovac e pelo Instituto Butantan (Rodrigo Paiva/Getty Images)

A CoronaVac, vacina desenvolvida pela chinesa Sinovac contra a Covid-19, demonstrou ter eficácia no teste de fase 3 realizado no Brasil, afirmou o Wall Street Journal nesta segunda-feira, citando pessoas envolvidas com o desenvolvimento do imunizante.

O Brasil foi o primeiro país do mundo a encerrar a fase final do ensaio clínico da vacina chinesa, que também está sendo testada na Indonésia e na Turquia, de acordo com o jornal.

O resultado do teste no Brasil colocou a CoronaVac acima dos 50% de eficácia que os cientistas internacionais consideram o mínimo para proteger as pessoas, segundo o WSJ.

Leia também

O teste da CoronaVac no Brasil é conduzido pelo Instituto Butantan, que também será encarregado pela produção local do imunizante. Em nota enviada em resposta à reportagem do WSJ, o Butantan afirmou que qualquer informação a respeito da eficácia da CoronaVac divulgada antes do anúncio oficial previsto para 23 de dezembro "é mera especulação".

"O Instituto Butantan esclarece que os resultados de eficácia da vacina só serão apresentados no próximo dia 23 de dezembro. Qualquer informação a respeito do índice antes dessa data é mera especulação", afirmou o instituto.

A Sinovac não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

Depois de adiar por duas vezes o anúncio do resultado da eficácia da vacina, o Butantan promete para a quarta-feira desta semana a divulgação do grau de eficácia e a entrada com pedido de registro da CoronaVac simultaneamente no Brasil e na China na mesma data.

O instituto também pedirá autorização para uso emergencial à Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A CoronaVac foi incluída pelo governo federal no plano nacional de imunização contra Covid-19 apresentado na semana passada, ao lado das vacinas de Oxford/AstraZeneca e da Pfizer.

O Ministério da Saúde disse esperar receber 9 milhões de doses da CoronaVac em janeiro.

(REUTERS: Reportagem de Manojna Maddipatla em Bengaluru; Reportagem adicional de Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)