Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,57
    +0,59 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.749,20
    -2,50 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    43.000,70
    +345,78 (+0,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,84 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.307,50
    -11,25 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2547
    -0,0009 (-0,01%)
     

Coritiba lança token de contratos de jogadores

·1 minuto de leitura
Contratos de jogadores da base serão tokenizados e vendidos a torcedores. Foto: Reprodução/Internet.
Contratos de jogadores da base serão tokenizados e vendidos a torcedores. Foto: Reprodução/Internet.
  • Projeto veio de parceria com a startup Liqi

  • Vasco e Cruzeiro também já estrearam ações similares

  • Contratos de jogadores da base serão tokenizados e vendidos a torcedores

O Coritiba Foot Ball Club é mais um dos clubes brasileiros a lançar mão da tecnologia blockchain. Em parceria com a Liqi, uma startup especializada em tokenização, o time vai transformar os direitos federativos de jogadores desenvolvidos na categoria de sua base em tokens.

Dessa forma, o time paranaense está seguindo os exemplos de outros times. Anteriormente, o Cruzeiro desenvolveu também em parceria com a Liqi a tokenização dos chamados "mecanismos de solidariedade", em que o clube de origem tem direito a uma porcentagem em negociações futuras ao longo de toda a carreira de um jogador. O Vasco também lançou mão de um projeto parecido com a corretora Mercado Bitcoin. Assim, torcedores e investidores podem adquirir o token proveniente destes contratos.

Leia também:

Até o momento, não foram confirmados os nomes dos jogadores cujos contratos serão tokenizados. O Coritiba é conhecido por sua categoria de base, que formou jogadores consagrados como Alex (que veio jogar por Palmeiras, Cruzeiro e Fenerbahce), Miranda (do São Paulo), Rafinha (do Grêmio) e Matheus Cunha, campeão olímpico com a Seleção Brasileira nas Olimpíadas de Tóquio.

Esta não é a primeira vez que a tecnologia blockchain se mistura com o mundo dos esportes. Na última edição das Olimpíadas, o Comitê Olímpico Internacional (COI) lançou um lote de broches em NFT comemorativos do evento. Ontem (3), o Flamengo anunciou uma parceria com a Socios.com, indicando a criação de uma criptomoeda do clube.

As informações são do Exame.com.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos