Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.471,92
    +579,92 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.723,43
    -192,77 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,95
    -1,06 (-1,19%)
     
  • OURO

    1.790,40
    -0,80 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    23.181,93
    +8,79 (+0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    533,20
    -2,02 (-0,38%)
     
  • S&P500

    4.145,19
    -6,75 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    32.803,47
    +76,67 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.439,74
    -8,32 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.201,94
    +27,94 (+0,14%)
     
  • NIKKEI

    28.175,87
    +243,67 (+0,87%)
     
  • NASDAQ

    13.184,50
    -44,25 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2565
    -0,0101 (-0,19%)
     

Coreia do Sul quer entrar na 'economia espacial' com viagem até a Lua

O dispositivo realizará missões científicas, incluindo encontrar um local de pouso para naves espaciais na lua (Getty Image)
O dispositivo realizará missões científicas, incluindo encontrar um local de pouso para naves espaciais na lua (Getty Image)
  • Coreia do Sul deverá laçar o Danuri no dia 3 de agosto

  • Ele estará a bordo do foguete da SpaceX nos Estados Unidos

  • País quer investir no setor espacial

A Coreia do Sul está pronta para lançar o primeiro orbitador lunar, o Danuri, a bordo do foguete da SpaceX nos Estados Unidos. A missão, que começa no dia 3 de agosto, marcará o primeiro passo do país ingressar na economia espacial.

Essa ação faz parte de um movimento mundial de exploração do espaço profundo, junto com a extração de recursos raros na Terra e o desenvolvimento de tecnologias necessárias para a exploração do espaço.

Se o lançamento for bem-sucedido, o Danuri navegará pelo espaço por cerca de quatro meses e meio. Percorrendo 100 quilômetros sobre a lua, o dispositivo realizará missões científicas, incluindo encontrar um local de pouso para naves espaciais na lua, medir o campo magnético e os raios gama, além de testar a comunicação pela Internet baseada no espaço de fevereiro a dezembro de 2023.

“Garantir tecnologias relacionadas ao espaço pode levar ao desenvolvimento de outras indústrias, especialmente o setor de defesa e, em última análise, também podemos esperar coletar minerais que não estão disponíveis na Terra”, disse Ahn Jae-myung, professor do Departamento de Aeroespacial. Engenharia no Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coréia (KAIST), ao The Korea Times.

As indústrias ligadas ao espaço estão chamando atenção pelo vasto potencial de crescimento. Em 2017, o Morgan Stanley projetou que o setor espacial global cresceria de US$ 348 bilhões para cerca de US$ 1 trilhão até 2040.

Além de apenas apoiar atividades de pesquisa relacionadas ao espaço, o presidente Yoon Suk-yeol prometeu que o governo "abrirá a era da economia espacial" e prometeu ajudar os setores público e privado a criar benefícios econômicos por meio de pesquisa e desenvolvimento na indústria.

“Não é exagero dizer que nosso futuro depende do espaço, que é uma área chave da competitividade nacional”, disse Yoon durante sua visita ao escritório de Daejeon do Instituto de Pesquisa Aeroespacial da Coreia (KARI).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos