Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.197,82
    +967,82 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.845,83
    -200,77 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,00
    +0,24 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.729,60
    +8,80 (+0,51%)
     
  • BTC-USD

    20.377,38
    +151,38 (+0,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    463,24
    +4,83 (+1,05%)
     
  • S&P500

    3.783,28
    -7,65 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.273,87
    -42,43 (-0,14%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.017,86
    -70,11 (-0,39%)
     
  • NIKKEI

    27.344,90
    +224,40 (+0,83%)
     
  • NASDAQ

    11.695,25
    +71,50 (+0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1511
    +0,0149 (+0,29%)
     

Coreia do Sul perdoa crimes de Lee Jae-yong, herdeiro da Samsung

Magnata da Samsung chegou a ser preso por corrupção
Magnata da Samsung chegou a ser preso por corrupção

(Jeon Heon-Kyun/Pool via REUTERS)

  • Governo sul-coreano concede perdão presidencial aos crimes de Jay Y. Lee, herdeiro da Samsung;

  • Magnata foi acusado de perjúrio, peculato, ocultação de ativos e suborno de funcionários;

  • Decisão do governo visa "superar a crise econômica, vitalizando a economia".

O governo sul-coreano decidiu perdoar os crimes de Lee Jae-yong, herdeiro e vice-presidente da Samsung, em uma “tentativa de superar a crise econômica, vitalizando a economia”. O magnata foi condenado, no passado, por perjúrio, peculato, ocultação de ativos fora do país e suborno de funcionários.

Apesar de ter cumprido pena de prisão pelos crimes, o registro de Lee ficou limpo graças ao perdão presidencial do país – que, ao que tudo indica, considera a liderança do herdeiro tão fundamental para a economia que é capaz de ignorar a ficha criminal dele.

Ainda que as leis sul-coreanas impedissem Lee de trabalhar na Samsung enquanto cumpria a pena, rumores apontam que ele continuou envolvido nos negócios do dia a dia, sem sofrer interferência do governo. No entanto, o magnata agora tem liberdade total para administrar a empresa de seu pai e assumir a presidência.

Lee Jae-yong é conhecido profissionalmente no ocidente como Jay Y. Lee.

Vista grossa

Segundo o site Android Authority, esta não é a primeira vez que a Coréia do Sul ignora atitudes ilegais dos magnatas da Samsung. Lee Kun-hee, pai de Lee Jae-yong, também teve uma ficha criminal extensa, com acusações de suborno, evasão fiscal e quebra de confiança.

Ainda assim, nunca foi formalmente acusado, não cumpriu pena de prisão e ainda recebeu indultos do governo. Ele faleceu em 2020, mas deixou a Samsung em 2014, após ser hospitalizado por um ataque cardíaco.