Mercado abrirá em 9 h 7 min

Copa do Mundo | Apps oficiais trazem risco à privacidade de visitantes no Catar

As autoridades de diferentes países da Europa alertaram seus cidadãos quanto aos riscos à privacidade após baixarem os apps oficiais da Copa do Mundo do Catar, que começa neste final de semana. Os alertas emitidos por pelo menos três nações citam o perigo de rastreamento e vigilância ostensiva contra os visitantes a partir dos softwares, cujo download é recomendado pela sede dos jogos.

O aviso mais veemente foi dado pelas autoridades regulatórias da Alemanha quanto ao app oficial da Copa do Mundo, o Hayya to Qatar 2022. Segundo a Comissão Federal de Proteção de Dados e Liberdade de Informação (BfDI, na sigla em alemão), o software coleta dados e aplica medidas de rastreamento que vão muito além do que é citado em seus termos de uso.

O download da solução não é obrigatório para quem vai aos estádios, mas o mesmo não pode ser dito de outro app, mandatório para quem precisar de atendimento médico durante a estada no país. Oficialmente, o Ehteraz é um app oficial do governo do Catar, com cadastro e rastreamento de contatos para controle da covid-19, mas da mesma forma, coleta mais informações do que descreve oficialmente.

<em>Apps oficiais da Copa do Mundo têm download recomendado pelo governo do Catar, enquanto autoridades da Europa os taxaram como spywares (Imagem: Capturas de tela/Felipe Demartini/Canaltech)</em>
Apps oficiais da Copa do Mundo têm download recomendado pelo governo do Catar, enquanto autoridades da Europa os taxaram como spywares (Imagem: Capturas de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

Segundo o BfDI, o primeiro app é capaz de impedir que o aparelho entre em modo de repouso em circunstâncias específicas, enquanto o pedido de permissão para acesso à conexão móvel do usuário é citado como problemático. Já o segundo traz risco na autorização envolvendo o uso da galeria de fotos e vídeos, bem como o pedido para ler e modificar outros dados do smartphone.

A preocupação é tamanha que o governo alemão pediu que seus cidadãos utilizem celulares alternativos para download e uso dos aplicativos oficiais. Autoridades regulatórias da França e da Noruega também engrossaram o coro de alertas, taxando os dois softwares como spywares e pedindo que os turistas não realizem o download deles a não ser que seja absolutamente necessário.

O alerta foi dado, especialmente, a grupos vulneráveis e minorias, principalmente aquelas que são taxadas como fora da lei pelo Qatar, como é o caso da comunidade LGBTQIA+. O temor é quanto ao rastreamento, perseguição e coleta de dados destes indivíduos, ao lado de uma vigilância ostensiva nas cidades e estádios onde acontecem os jogos, a partir de sistemas de reconhecimento facial e inteligência artificial.

O governo do Catar não respondeu oficialmente sobre os alertas feitos pelos países europeus. Os aplicativos estão disponíveis nas lojas oficiais de apps para Android e iOS, enquanto Apple e Google também não se pronunciaram sobre os possíveis riscos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: