Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.608,51
    +2.229,59 (+2,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.845,86
    +578,66 (+1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,82
    +1,76 (+4,09%)
     
  • OURO

    1.803,40
    -34,40 (-1,87%)
     
  • BTC-USD

    19.004,94
    +552,98 (+3,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    377,99
    +8,24 (+2,23%)
     
  • S&P500

    3.635,68
    +58,09 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.041,77
    +450,50 (+1,52%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.074,50
    +169,25 (+1,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3912
    -0,0491 (-0,76%)
     

Contra imposto digital, Febraban financia ministro fura-teto, diz Guedes

·1 minuto de leitura
.
.

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira que a Febraban, Federação Brasileira de Bancos, financia estudos de outras pastas e de "ministro fura-teto" em oposição à criação do imposto digital.

Ao participar de audiência pública no Congresso, Guedes disse que, quando o governo fala em fazer o "digitax", bancos agem correndo por meio da Febraban.

"(Febraban) financia até programa de estudo de ministro gastador para ver se enfraquece o ministro que defende acabar com esse privilegiozinho (cobrança por transferências), esse cartoriozinho", disse Guedes.

"A Febraban financia até estudos de outros ministérios que não têm nada a ver com a atividade dela, ela financia justamente no lobby de enfraquecimento do ministro que está segurando a barra, que não quer deixar esse cartório prosperar", completou.

Guedes disse ainda que a entidade financia "ministro gastador para ver se fura-teto, para ver se derruba o outro lado".

(Por Marcela Ayres)