Mercado abrirá em 8 h 41 min
  • BOVESPA

    108.402,27
    +1.930,35 (+1,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.354,86
    +631,43 (+1,35%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,55
    -0,21 (-0,23%)
     
  • OURO

    1.786,40
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    23.838,77
    +520,83 (+2,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    557,12
    +14,24 (+2,62%)
     
  • S&P500

    4.140,06
    -5,13 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    32.832,54
    +29,07 (+0,09%)
     
  • FTSE

    7.482,37
    +42,63 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    20.228,71
    +182,94 (+0,91%)
     
  • NIKKEI

    27.993,26
    -255,98 (-0,91%)
     
  • NASDAQ

    13.218,50
    +35,25 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2113
    +0,0019 (+0,04%)
     

Contestação do resultado eleitoral é o maior risco do mercado, diz Stuhlberger

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma vitória apertada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições e uma eventual contestação do resultado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) é o maior risco do mercado local neste momento, afirmou Luis Stuhlberger.

Segundo o gestor da Verde Asset, a possibilidade de um placar de 51% a 49% a favor do candidato petista gera o temor de que o atual mandatário questione os resultados das eleições, com reflexos imprevisíveis para a performance da Bolsa, da renda fixa ou do câmbio.

Essa contestação ao resultado em caso de uma vitória apertada do ex-presidente é algo que o mercado ainda não embute nos preços dos ativos neste momento, afirmou Stuhlberger, durante participação no evento Expert XP nesta quarta-feira (3).

O gestor afirmou que a possibilidade de esse cenário se concretizar pode ser classificada como um risco "Banana Republic". "Tenho medo dessa pequena margem de diferença."

Stuhlberger disse ainda que, caso Lula venha a confirmar o favoritismo indicado nas pesquisas de intenção de voto, prevê um cenário de aumento dos gastos sociais, que levaria a uma inflação mais pressionada, com a necessidade de juros mais elevados para controlar a alta de preços.

Apesar dos prognósticos, ele afirmou também que tem uma posição relevante alocada na Bolsa brasileira neste momento, por acreditar na valorização de ativos reais sob uma ótica de médio e longo prazo. "[A Bolsa] é o melhor lugar para se estar, exatamente porque está todo mundo vendendo", disse o gestor da Verde.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos