Mercado fechado

Conta de luz fica mais cara em 24 cidades de São Paulo

Conta de luz: aprovado pela Aneel no final do mês de passado, o aumento está sendo aplicado às cidades que são atendidas pela Enel Distribuição São Paulo (Getty Creative)
Conta de luz: aprovado pela Aneel no final do mês de passado, o aumento está sendo aplicado às cidades que são atendidas pela Enel Distribuição São Paulo (Getty Creative)
  • Conta de luz: Aumento foi aplicado às cidades que são atendidas pela Enel Distribuição São Paulo;

  • Reajuste será de 12,04%, sendo 18,03% para alta tensão e de 10,15% para baixa tensão;

  • Não há alterações nos valores aplicados pela CPFL.

Consumidores de 24 municípios do estado de São Paulo passaram a pagar por um valor maior na conta de luz a partir desta segunda-feira. Aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no final do mês de passado, o aumento está sendo aplicado às cidades que são atendidas pela Enel Distribuição São Paulo e atinge cerca de 7,6 milhões de unidades consumidoras.

Segundo informações do portal G1, "o aumento médio será de 12,04%, sendo 18,03% para alta tensão e de 10,15% para baixa tensão. No caso das 303 cidades do interior atendidas pela CPFL, não há qualquer reajuste".

À Agência Brasil, a Enel informou que "os consumidores de baixa tensão são, na maioria, clientes residenciais. Já os clientes de média e alta tensão são, em geral, indústrias e grandes comércios".

Confira as cidades de São Paulo que tiveram reajuste na conta de luz:

  • São Paulo

  • Barueri

  • Cajamar

  • Carapicuíba

  • Cotia

  • Diadema

  • Embu das Artes

  • Embu-Guaçu

  • Itapecerica da Serra

  • Itapevi

  • Jandira

  • Juquitiba

  • Mauá

  • Osasco

  • Pirapora do Bom Jesus

  • Ribeirão Pires

  • Rio Grande da Serra

  • Santana de Parnaíba

  • Santo André

  • São Bernardo do Campo

  • São Caetano do Sul

  • São Lourenço da Serra

  • Taboão da Serra

  • Vargem Grande Paulista

Nova lei pode reduzir valor

Uma nova lei publicada no Diário Oficial da União da última terça-feira (28) garante a devolução dos tributos recolhidos de forma indevida pelas distribuidoras de energia elétrica. A ideia é que esse dinheiro seja utilizado para reduzir a conta de luz do consumidor final.

De acordo com o texto da lei, esses valores deverão ser utilizados “em proveito dos usuários de serviços públicos afetados na respectiva área de concessão ou permissão, dos valores objeto de repetição de indébito pelas distribuidoras de energia elétrica em razão de recolhimento a maior, por ocasião de alterações normativas ou de decisões administrativas ou judiciais que impliquem redução de quaisquer tributos, ressalvados os incidentes sobre a renda e o lucro”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos