Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,59 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,08 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,57
    -0,58 (-0,80%)
     
  • OURO

    1.813,10
    -48,30 (-2,59%)
     
  • BTC-USD

    38.702,88
    -1.478,22 (-3,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    961,10
    -31,37 (-3,16%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,66 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    -201,69 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.938,25
    -43,00 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0734
    -0,0445 (-0,73%)
     

Conta de chinesa Xiaohongshu em mídia social some após postagem no aniversário de Tiananmen

·1 minuto de leitura

PEQUIM (Reuters) - Uma conta de mídia social para o popular site de comércio eletrônico chinês Xiaohongshu, ou "Pequeno Livro Vermelho", não estava disponível neste domingo, depois de ter publicado um post na sexta-feira, aniversário da repressão de 1989 contra ativistas da democracia na Praça Tiananmen, uma data altamente sensível na China.

A postagem de sexta-feira em sua conta no Weibo da China, semelhante ao Twitter, dizia: "Diga-me em voz alta: qual é a data de hoje?", de acordo com uma imagem vista pela Reuters. Essa postagem foi rapidamente excluída por Xiaohongshu, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto, que preferiu não ser identificada devido à sensibilidade do tema.

Uma busca no Weibo pela conta oficial de Xiaohongshu não encontrou resultados neste domingo, embora seu próprio aplicativo parecesse estar funcionando normalmente. Algumas pesquisas online disseram que a conta não estava disponível "devido a reclamações de violações de leis e regulamentos e das disposições relevantes da Convenção da Comunidade Weibo".

A empresa, apoiada pelos gigantes chineses da internet Alibaba e Tencent, não respondeu imediatamente a um pedido de comentário neste domingo.

A Administração do Ciberespaço da China, o regulador da Internet do país, não pôde ser contatada imediatamente para comentar o assunto neste domingo, e Sina Weibo não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Em março, The Information relatou que o site estava considerando uma oferta pública inicial nos Estados Unidos.

A conta Weibo de Xiaohongshu frequentemente coloca perguntas como parte de seu envolvimento regular com o usuário.

(Reportagem da redação de Pequim)