Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.057,22
    -1.202,27 (-0,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.202,80
    -376,30 (-0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,97
    -0,07 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.778,50
    +3,70 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    38.112,94
    -449,29 (-1,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    947,40
    -22,47 (-2,32%)
     
  • S&P500

    4.221,86
    -1,84 (-0,04%)
     
  • DOW JONES

    33.823,45
    -210,22 (-0,62%)
     
  • FTSE

    7.153,43
    -31,52 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.558,59
    +121,75 (+0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.087,54
    +69,21 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.187,00
    +21,50 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9871
    +0,0246 (+0,41%)
     

Consumo de energia tem queda anual de 3,4% em junho, aponta ONS

·1 minuto de leitura

Frente a maio, porém, houve aumento de 2,5% na carga, o que sinaliza que o pior momento já passou, segundo o operador O consumo de energia elétrica no Brasil recuou 3,4% em junho, na comparação com igual mês de 2019, segundo o boletim mensal de carga do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Frente a maio, por outro lado, houve um aumento de 2,5% na carga, o que sinaliza que o pior momento já passou. Pelo terceiro mês consecutivo, todos os subsistemas registraram queda de consumo em junho, na comparação anual. O mais afetado continua sendo o Nordeste, com queda de 5,1%, seguido do Sudeste/Centro-Oeste (-3,9%), Norte (-1,7%) e Sul (-0,7%). De acordo com o ONS, mesmo com o recuo verificado em junho, o consumo de energia deu sinais de “suave elevação”, devido principalmente à flexibilização das medidas de isolamento social e ao consequente aumento das atividades econômicas. O operador destaca, no entanto, que a retomada ainda é modesta, com as empresas ainda operando em níveis abaixo da sua capacidade. A recuperação representa somente 60% do que foi perdido entre março e abril. “De uma maneira geral, os resultados dos indicadores utilizados no processo de análise do comportamento da carga sugerem, embora ainda muito distantes dos níveis anteriores ao início da pandemia, que o pior momento tenha passado”, esclarece o boletim mensal. O ONS citou, ainda, que o resultado da carga de junho foi influenciado pelo maior número de dias úteis quando comparado com maio. No acumulado dos últimos 12 meses, o Sistema Interligado Nacional (SIN) registra uma queda de 2%, se comparado com igual período do ano anterior. Couleur/Pixabay

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos