Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.198,96
    -1.042,67 (-0,86%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.611,23
    -846,79 (-1,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,96
    +0,60 (+1,15%)
     
  • OURO

    1.839,80
    +9,90 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    36.496,57
    +54,84 (+0,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    721,91
    +6,72 (+0,94%)
     
  • S&P500

    3.800,80
    +32,55 (+0,86%)
     
  • DOW JONES

    30.967,87
    +153,61 (+0,50%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.642,28
    +779,51 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    28.633,46
    +391,25 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    12.981,75
    +179,50 (+1,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4839
    +0,0886 (+1,39%)
     

Consumo de energia no Brasil sobe 3,3% em dezembro e tem perspectiva positiva, diz CCEE

·1 minuto de leitura
Linhas de transmissão de energia em Brasília (DF)

SÃO PAULO (Reuters) - O consumo de energia elétrica no Brasil avançou 3,3% em dezembro ante mesmo mês do ano anterior, impulsionado pela ampliação do mercado livre e fornecendo uma "perspectiva positiva" para o indicador, disse nesta quinta-feira a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Segundo dados preliminares da entidade, o consumo no Sistema Interligado Nacional (SIN) no mês passado atingiu 65.205 megawatts médios (MW Med), contra 63.130 MW Med em dezembro de 2019.

No período, o ambiente livre --no qual grandes consumidores, como indústrias e comércios, podem negociar a oferta diretamente com geradores ou comercializadoras-- registrou alta de 13,4%, enquanto o mercado regulado, em que clientes adquirem energia por meio das distribuidoras, recuou 0,8%.

Se expurgados os efeitos de migração de consumidores entre os sistemas, o ambiente livre apura alta de 8,1% no mês, enquanto o mercado regulado tem elevação de 1,4%, acrescentou a CCEE.

"O ano de 2020, que registrou retrações intensas no consumo de energia ao longo de todo o primeiro semestre, se encerrou com uma perspectiva positiva para o indicador", disse a entidade, referindo-se aos impactos de consumo causados pela pandemia de coronavírus.

"Detalhando a análise do consumo por ramo de atividade no ACL (ambiente livre), é possível perceber que quase todos os setores têm se recuperado da retração causada pela pandemia de Covid-19", acrescentou, destacando que apenas quatro dos 15 segmentos analisados --comércio, telecomunicações, transporte e serviços-- tiveram queda de consumo no mês.

(Por Gabriel Araujo; edição de Nayara Figueiredo)