Mercado fechado

Consumo de dados do Stadia pode passar de 100 MB por minuto: e no Brasil?

Rafael Arbulu

Um jornalista do site Venture Beat estabeleceu um teste de consumo de dados do Stadia, o console de cloud gaming lançado pelo Google na última terça-feira (19). E veja só, os resultados apontaram que ele é o destruidor de pacotes de internet que todos esperavam que ele fosse.

Porém, antes de mais nada, é necessário admitir: o teste não é o mais preciso. Basicamente, o jornalista em questão conectou o aparelho ao seu smartphone Android e usou a ferramenta interna de rastreio de consumo embutida no sistema operacional. Também é importante ressaltar que os testes rodaram em resolução Full HD (1080p) a 60 quadros por segundo (fps), já que qualquer definição superior de vídeo só viria com uma conexão fixa.

Stadia: console de cloud gaming do Google não é nada leve na hora de consumir os dados de internet do usuário

Isso dito, podemos tirar uma boa ideia de como o Stadia pode gastar a internet de alguém — e como isso poderia ser traduzido no Brasil. Para o teste, o jornalista do Venture Beat usou o jogo Red Dead Redemption 2, rodando na resolução e taxa de quadros mencionada acima. Os resultados foram:

  • Duração: 13 minutos
  • Total de dados usados: 1,55 GB
  • Dados usados por minuto: 119 MB
  • Expectativa de dados usados por hora: 7,14 GB

Red Dead Redemption 2 tem um tempo médio de 47 horas para sua campanha principal, então fazendo uma conta simples, uma partida inteira do jogo dentro do Stadia exigiria 335,58 GB de consumo de dados do seu plano de internet. Lembrando: em FullHD (1080p) e 60 fps. Considerando que a resolução 4K — não medida pelo site — pode exibir pelo menos quatro vezes mais pixels, por mais tempo, do que a definição FullHD, a experiência completa de Red Dead Redemption 2 no Stadia, com o máximo do que ela pode oferecer visualmente, poderia chegar até pouco mais de 1,3 TB.

Red Dead Redemption 2 tem duração média de 47 horas na campanha principal, mas cada hora jogada nele pelo Stadia gastaria em média 7,14 GB - e isso nem é a resolução máxima

E isso roda no Brasil?

Difícil dizer. Atualmente, as grandes ofertas de internet residencial brasileiras incluem a Claro (NET Virtua), a Vivo (Fibra) e a TIM (Live). Todas dizem fazer uso de fibra ótica e, na tabela abaixo, reunimos os planos mais altos de cada uma, conforme informações em seus respectivos sites:

Planos mais avançados de internet residencial no Brasil
Vivo (Vivo Fibra) 300 MB R$ 229,98 300 GB de franquia
TIM (TIM Live) 2 GB R$ 1.560,00 sem cobrança de franquia
Claro (NET Virtua) 500 MB R$ 449,00 500 GB de franquia

Se fôssemos seguir os mesmos padrões do teste do Venture Beat aqui no Brasil, pelo menos duas das três ofertas acima praticamente dobrariam as franquias de dados estabelecidas nos contratos de conexão. A TIM alega não cobrar excedentes por estourar a franquia (a operadora diz que não estabelece limites de ados em suas ofertas), mas a sua maior conexão traz um preço mensal relativamente proibitivo. Não por menos, a maior parte dos clientes 2 GB da companhia são empresas. Lembrando que os planos listados acima são as maiores ofertas de cada operadora, mas é bastante improvável que elas correspondam à média de seus consumidores.

O Stadia, hoje, não se encontra disponível no Brasil. Lançado nesta semana, o console de cloud gaming do Google tem um valor de assinatura de US$ 10 mensais, fora o que ele ainda cobra pelos jogos e conteúdos extras. Mas não há razão para acreditar que o consumo de dados dele seria, de alguma forma, aliviado por estas bandas.

E você, conseguiria usar o Stadia com tranquilidade? Conte para nós como seria a sua experiência nos comentários!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: