Mercado fechará em 3 h 33 min
  • BOVESPA

    117.566,65
    +368,83 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.207,49
    +361,66 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,25
    +0,49 (+0,56%)
     
  • OURO

    1.717,30
    -3,50 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    20.062,30
    -43,35 (-0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,61
    -6,52 (-1,41%)
     
  • S&P500

    3.762,80
    -20,48 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    30.097,67
    -176,20 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,82 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.575,75
    -48,00 (-0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0945
    -0,0417 (-0,81%)
     

Consumidores poderão usar WhatsApp para pagamentos em lojas

WhatsApp anunciou uma nova parceria com a Cielo no Brasil (AP Photo/Patrick Sison, File)
WhatsApp anunciou uma nova parceria com a Cielo no Brasil (AP Photo/Patrick Sison, File)
  • Ferramenta ainda será desenvolvida e testada pela Meta;

  • Parceria foi anunciada na última sexta-feira (09);

  • WhatsApp quer se tornar um super-aplicativo.

Na última sexta-feira (09), a Cielo anunciou uma parceria com a Meta Platforms, empresa de Mark Zuckerberg dona do Facebook, Instagram e WhatsApp, para realizar transações por meio do aplicativo de mensagens instantâneas da empresa.

A iniciativa conjunta irá permitir que os consumidores possam realizar pagamentos em lojas e outros estabelecimentos utilizando o WhatsApp. Atualmente o mensageiro já é capaz de realizar a transferência de quantias entre pessoas, mas agora ele será capaz também de fazer pagamentos em débito e crédito.

“A efetiva disponibilização ao público da realização de transações de pagamento via WhatsApp nessa modalidade é uma decisão que cabe à Meta e está sujeita à realização de testes com usuários e estabelecimentos comerciais, além de aprovações regulatórias”, afirmou a Cielo.

Ou seja, por enquanto a implementação desse recurso não está 100% confirmada pela empresa, mas entrará em fase de desenvolvimento e testes, conforme a empresa estuda o mercado e suas possibilidades.

A Meta tem o desejo que o WhatsApp se torne um super-aplicativo, capaz de estar presente em diversos aspectos da vida humana como o WeChat é na China. Para isso, além de mensageiro ele pode também buscar atuar nos setores de mídia social, transmissão ao vivo, conferência de vídeo, entrega de comida, e-commerce, transferências bancárias e solução de pagamentos, como parece que está tentando ser.

Com esse objetivo, na Índia a empresa já anunciou uma integração de sua plataforma com o JioMart, permitindo que os usuários no país consigam realizar as compras do mês dentro do aplicativo. A partir do envio de uma mensagem para um número específico, o aplicativo abre a plataforma de e-commerce da JioMart. Para ambas empresas isso é um grande desenvolvimento, mas é ainda melhor para o WhatsApp, que mantém o usuário cada vez mais dentro de seu aplicativo.