Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.278,35
    +1.868,20 (+3,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Consumidores da zona do euro esperam que inflação arrefeça após salto, mostra pesquisa do BCE

·2 min de leitura

FRANKFURT (Reuters) - Os consumidores da zona do euro esperam que os preços subam 3% nos próximos 12 meses, antes de arrefecerem para a meta de 2% do Banco Central Europeu, mostrou uma pesquisa do BCE nesta quinta-feira.

A inflação da zona do euro atingiu 4,1% em outubro e os economistas começaram a alertar que poderia ficar acima da meta do BCE no próximo ano, à medida que custos mais altos de energia e interrupções na oferta afetam as expectativas de salários e preços.

Mas os resultados da pesquisa podem cimentar a crença do BCE de que o aumento atual no custo de vida é temporário, porque as famílias não estão se preparando para a persistência da pressão após ano que vem.

A resposta mediana na Pesquisa de Expectativas do Consumidor do BCE previu crescimento anual dos preços de 3% nos próximos 12 meses e de 2% ao ano para os próximos três anos.

"No geral, as famílias estão muito conscientes do fato de que há um salto de curto prazo da inflação, de modo que estão elevando suas perspectivas daqui a um ano", disse o economista-chefe do BCE, Philip Lane, ao revelar os resultados da pesquisa.

"Mas eles não estão mudando, pelo menos em termos de mediana, a perspectiva para três anos. Isso sugere que pelo menos o entrevistado mediano concorda que esse aumento da inflação é provavelmente temporário por natureza."

A pesquisa também mostrou que as famílias não viram esse surto de inflação chegando.

A pesquisa de outubro de 2020 mostrava a inflação em um e três anos em 2%, valor em que tem pairado, no geral, desde o lançamento da pesquisa, em abril de 2020.

Isso confirmou que as famílias não têm muito sucesso em prever a inflação, fato há muito conhecido na profissão econômica.

Mas também mostrou que o BCE conseguiu ancorar as expectativas em torno de sua meta oficial de inflação, o que pode dar munição aos "hawks" (autoridades de postura inclinada a condições monetárias mais apertadas) que desejam encerrar os programas de compra de títulos do BCE.

O BCE entrevistou cerca de 10 mil consumidores na Alemanha, França, Itália, Espanha, Holanda e Bélgica por meio de uma enquete online.

A pesquisa tem sido realizada mensalmente, mas esta foi a primeira vez que alguns dos resultados foram divulgados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos