Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,90 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,75 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +0,03 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +11,40 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    19.446,40
    +170,71 (+0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,11 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,38 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    -0,75 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5561
    +0,0505 (+0,92%)
     

Consumidor se beneficia de defasagem de preço da Petrobras, diz Vibra

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Gasolina sai de bomba em posto de combustíveis da Petrobras, em Brasília
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO (Reuters) - No mercado de combustíveis no Brasil, no qual as distribuidoras têm a Petrobras como grande fornecedora, os descontos de preços de derivados da estatal em relação aos valores internacionais são repassados aos consumidores nas bombas, disse o diretor financeiro da Vibra Energia, maior companhia de distribuição do país.

Em teleconferência dos resultados do primeiro trimestre, André Natal destacou que em um cenário de restrição da oferta global e alta nos valores internacionais "todos os players estão comprando tudo o que podem da Petrobras", que tem vendido os derivados com descontos ante os valores globais de 15% ou 20%.

"Então, quando todo mundo tem acesso a isso, este desconto vai para o consumidor, ele não fica no bolso de ninguém", disse ele, indicando que distribuidores não se apropriam desses valores em um mercado disputado.

A defasagem do preço da gasolina da Petrobras em relação aos valores internacionais está em cerca de 23%, enquanto no diesel, apesar do reajuste da semana passada, encontra-se em pouco mais de 10%, segundo o Centro Brasileiro de Infraestrutura (Cbie).

A Petrobras afirma que trabalha com preços na paridade de importação, mas que não repassa imediatamente a volatilidade do mercado do petróleo.

A Vibra, maior importadora de combustíveis do Brasil, uma vez que a Petrobras não consegue fornecer toda a demanda dos clientes da distribuidora e de outras, está bem posicionada, disse Natal, uma vez que alguns players que atuam no Brasil estão afastados da importação devido às condições difíceis do mercado.

A conjuntura ressalta a importância de a Petrobras trabalhar com preços próximos da paridade de importação, uma vez que uma situação de desconto desestimula outros players menores a participar do abastecimento do mercado.

A própria Petrobras, ao ter questionada sua política de preços por autoridades, afirma a importância de preços alinhados ao exterior para ajudar no abastecimento local.

O diretor da Vibra disse ainda que a companhia, que importa o equivalente a cerca de 20% de suas vendas de combustíveis, tem sentido uma demanda acima do esperado pelos seus produtos.

(Por Roberto Samora)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos