Construção fica mais cara em 6 de 7 capitais em dezembro

Seis de sete capitais pesquisadas apresentaram aceleração no Índice Nacional de Custos da Construção - Mercado (INCC-M) na passagem de novembro para dezembro, no levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV), divulgado nesta sexta-feira. O índice geral passou de 0,23% para 0,29% no período. A maior variação de novembro para dezembro foi verificada no Recife, onde a taxa acelerou de 2,21% para 3,02%.

Também apresentaram variação de preços para cima, no período, Brasília (de 0,07% para 0,12%), Belo Horizonte (de 0,18% para 0,19%), Rio de Janeiro (de 0,08% para 0,16%), Porto Alegre (de 0,11% para 0,14%) e São Paulo (de 0,13% para 0,14%). Em sentido contrário, Salvador desacelerou de 0,13% para estabilidade.

Os itens que mais influenciaram positivamente o INCC-M de novembro para dezembro foram ajudante especializado (de 0,24% para 0,30%), servente (de 0,28% para 0,30%), engenheiro (de 0,43% para 0,44%), tubos e conexões de PVC (de 0,47% para 1,19%) e pedreiro (de 0,23% para 0,28%).

Já os itens que mais influenciaram negativamente o índice foram argamassa (de 0,16% para -0,23%), tijolo/telha cerâmica (de 0,03% para -0,06%), impermeabilizante (de 0,90% para -0,17%), eletrodutos de PVC (de 0,59% para -0,19%) e tubos e conexões de ferro e aço (de 0,10% para -0,03%).

Carregando...