Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.837,70
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    18.960,80
    +66,29 (+0,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

A consolidação de aparelhos robustos no mercado B2B e para o consumidor final

Colaborador externo
·2 minuto de leitura

Por Renato Citrini*

Finos, leves, com múltiplas cores e câmeras poderosas. Tela dobrável para fazer do smartphone um tablet ou um pequeno acessório que cabe na palma da mão. Em constante expansão, o mercado de smartphones oferece soluções aos mais variados perfis de pessoas. E, diante deste cenário de transformação, uma categoria tem recebido cada vez mais atenção das fabricantes e consumidores: a de robustos, com dispositivos resistentes, projetados para suportar condições climáticas extremas, ambientes desafiadores e, também, otimizar a jornada de trabalhadores que atuam na linha de frente da indústria.

Para compreendermos a importância da categoria de smartphones robustos, precisamos olhar atentamente ao padrão de comportamento que as pessoas tiveram com seus dispositivos nos últimos meses. As ferramentas de diversão, como redes sociais, plataformas de streaming e jogos eletrônicos se tornaram ainda mais presentes na rotina dos usuários, enquanto soluções de videoconferência, e-mail e agenda foram fundamentais para o êxito do trabalho remoto.

A categoria de smartphones robustos reúne não só recursos populares para todas essas necessidades do dia a dia, mas também funcionalidades únicas, desenvolvidas tanto para o mercado B2B quanto para o consumidor final. Muito além do design mais encorpado, os dispositivos com esta proposta apresentam alta resistência contra água e poeira e asseguram proteção mesmo em altitudes extremas, altas e baixas temperaturas, umidade elevada e outras condições ambientais desafiadoras, como regiões montanhosas, rios e mares.

Em relação aos smartphones “comuns”, esta categoria possibilita melhor adaptação a quem gosta, por exemplo, de praticar esportes radicais na natureza, como alpinistas, mergulhadores, mountain bikers e paraquedistas. Há modelos, inclusive, que permitem o toque na tela mesmo utilizando luvas, dependendo da espessura e material, ou com as mãos molhadas. Assim, é possível tirar fotos e gravar vídeos em alta resolução no meio da ação.

Já para o segmento B2B, em setores como varejo, manufatura, saúde e logística, os smartphones robustos têm como foco principal a praticidade, além, claro, da segurança. É possível encontrar dispositivos com teclas programáveis na lateral, para facilitar que os trabalhadores abram o scanner, liguem a lanterna do dispositivo ou iniciem um aplicativo CRM. Outro recurso que pode ser visto é o de leitura de código de barras, auxiliando, por exemplo, no gerenciamento, controle e movimentação de estoque.

Certo é que os smartphones robustos se consolidaram em um mercado amplo, que busca oferecer dispositivos para usuários com os mais variados perfis, hábitos e preferências. Afinal, no universo tecnológico, está à frente aquele que desenvolve ferramentas que impactam positivamente, de maneira clara e objetiva, o dia a dia das pessoas, aprimorando experiências e auxiliando em tarefas, seja durante a diversão ou o trabalho.

*Renato Citrini, gerente sênior de produto da divisão de dispositivos móveis da Samsung Brasil

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: