Mercado fechado

Conservadores britânicos alertam para crise econômica sob planos do Partido Trabalhista

Por David Milliken e William James

Por David Milliken e William James

LONDRES (Reuters) - O ministro britânico das Finanças, Sajid Javid, disse neste domingo que os planos "imprudentes" de gastos do Partido Trabalhista, de oposição, desencadeariam uma crise econômica dentro de meses se o partido vencesse a eleição de 12 de dezembro, citando um contestado dossiê publicado por seu Partido Conservador.

O Partido Trabalhista descartou veementemente o relatório, que afirmou que os gastos seriam elevados em 1,2 trilhão de libras (1,5 trilhão de dólares) nos próximos cinco anos, chamando-o de fake news.

A trajetória futura da economia britânica, a quinta maior do mundo, tem estado no centro da campanha eleitoral nos últimos dias, com os dois partidos prometendo gastos mais altos, mas discutindo sobre a escala de investimentos necessários e sobre como pagá-los.

"Esses são níveis de gastos impressionantes - 1,2 trilhão (de libras). Eles serão absolutamente imprudentes e deixarão este país com uma crise econômica dentro de meses", disse Javid à BBC neste domingo.

Os conservadores, liderados pelo primeiro-ministro Boris Johnson e atualmente à frente nas pesquisas de opinião, disseram que o número se baseia no manifesto do Partido Trabalhista para as eleições de 2017 e nas estimativas sobre compromissos políticos mais recentes.

Mas Javid se recusou a colocar um preço no plano de governo de seu próprio partido, dizendo que responderá pelos novos gastos quando o manifesto do partido for publicado. O Partido Trabalhista também prometeu explicar como pagaria por seu programa para o governo.