Mercado abrirá em 7 h 20 min
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,34
    +0,06 (+0,09%)
     
  • OURO

    1.831,00
    -5,10 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    57.380,85
    +2.566,66 (+4,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.555,18
    +1.312,50 (+540,84%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    28.027,49
    +13,68 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.174,47
    -434,12 (-1,52%)
     
  • NASDAQ

    13.267,25
    -78,75 (-0,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3332
    -0,0122 (-0,19%)
     

Conselho de supervisão do Facebook amplia escopo relacionado a conteúdo na plataforma

Elizabeth Culliford
·1 minuto de leitura
Facebook

Por Elizabeth Culliford

(Reuters) - Usuários do Facebook agora poderão pedir ao conselho de supervisão independente da empresa para decidir sobre o conteúdo que foi deixado na plataforma, bem como o que foi retirado, em uma expansão importante do escopo do conselho.

O conselho foi criado pelo Facebook em resposta às reclamações de seu manuseio de conteúdo problemático, mas foi criticado por pesquisadores e grupos de direitos civis por sua competência limitada.

Antes dessa mudança, os usuários do Facebook e Instagram que haviam esgotado o processo de apelação podiam enviar casos de conteúdo removido para o conselho, mas apenas a própria empresa poderia solicitar que o conselho revisse o conteúdo deixado no site.

Nas próximas semanas, o conselho de supervisão também deve decidir se mantém a suspensão indefinida do Facebook do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, imposta após o motim de 6 de janeiro no Capitólio.

As decisões do conselho, que são vinculativas e podem anular as decisões da maior empresa de mídia social do mundo e do CEO Mark Zuckerberg, lidam apenas com uma pequena parte das decisões de conteúdo do Facebook. O conselho também pode recomendar mudanças de política, mas o Facebook não precisa colocar as mesmas em prática.

O conselho disse em uma publicação de blog que recebeu mais de 300.000 apelações de usuários desde a abertura de suas portas em outubro. Seu site informa que já decidiu sete casos, anunciando o primeiro em janeiro.

O conselho disse que a nova opção estava sendo lançada a partir de terça-feira e estaria disponível para todos os usuários nas próximas semanas.

(Reportagem de Elizabeth Culliford)