Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.717,94
    -517,82 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.460,55
    +652,34 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    94,15
    +2,22 (+2,41%)
     
  • OURO

    1.804,80
    -8,90 (-0,49%)
     
  • BTC-USD

    24.184,45
    +434,12 (+1,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    573,13
    -1,61 (-0,28%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.465,91
    -41,20 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    20.082,43
    +471,59 (+2,40%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.341,50
    -50,50 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3254
    +0,0790 (+1,51%)
     

Conselho do G20 promete regulação robusta contra criptomoedas

Moedas físicas de Bitcoin e da stablecoin Tether.
Moedas físicas de Bitcoin e da stablecoin Tether.

Em carta publicada nesta segunda-feira (11), o Conselho de Estabilidade Financeira (FSB) promete apresentar um conjunto de leis internacionais ao G20 em outubro deste ano. Embora o texto foque em stablecoins, manchadas pelo fiasco da TerraUSD (UST), é possível que o mesmo aproveite a oportunidade para martelar outras criptomoedas.

Citando a palavra “risco”, no plural ou singular, em cada parágrafo do documento, o órgão cita que o cripto-mercado possui vulnerabilidades que podem ter impacto no sistema tradicional à medida que os dois criam mais laços.

Sendo assim, este pode ser o início de uma grande regulamentação global, a ser seguida tanto por potências globais quanto por países em desenvolvimento. Em outras palavras, isso pode moldar o futuro das criptomoedas.

FSB apresentará recomendações em outubro

Fundado no mesmo ano em que o Bitcoin foi criado, 2009, o Conselho de Estabilidade Financeira (FSB) é formado por grandes nomes. Como destaque, temos o brasileiro Roberto Campos Neto, presidente do BC, e Gary Gensler, presidente da CVM dos EUA.

Segundo o documento publicado pelo FSB nesta segunda-feira (11), seu principal medo está ligada as stablecoins. O motivo pode ser justamente a sua estabilidade, que facilita a adoção, contudo sua segurança é dependente de terceiros.

“O FSB apresentará um relatório de consulta pública sobre a revisão de suas recomendações para a regulamentação, supervisão e fiscalização global sobre stablecoins,” aponta o texto do FSB. “Incluindo como as estruturas existentes podem ser estendidas para fechar lacunas e implementar recomendações de alto nível.”

Tais recomendações serão apresentadas em outubro deste ano aos primeiros-ministros e banqueiros centrais do G20, incluindo do Brasil. Portanto, espera-se que tenha grande impacto na coordenação global.

Criptomoedas estão tomando o mundo

Embora tenham ignorado as criptomoedas por diversos anos, o próprio FSB cita que elas estão evoluindo rapidamente. Além do Bitcoin, hoje é possível encontrar diversas outras moedas e casos de uso para as mesmas.

Com isso, a adoção global também está disparando. No último relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), é possível vislumbrar a crescente adoção.

Adoção das criptomoedas nas 20 maiores economias. Fonte: ONU.
Adoção das criptomoedas nas 20 maiores economias. Fonte: ONU.

Em três países, Ucrânia, Rússia e Venezuela, mais de 10% da população possuem contato com criptomoedas, em geral. Já no Brasil, cerca de 1 a cada 20 brasileiros está ligado a esta nova forma de dinheiro.

Portanto, estamos em uma grande fase de acumulação, podendo demorar pouco tempo até que o Bitcoin e outras criptomoedas passem a circular no mesmo ritmo que moedas fiduciárias, especialmente em países afetados pela inflação. Portanto, os reguladores que se apressem.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos