Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,87
    +0,10 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.854,70
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    32.403,08
    -1.044,17 (-3,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    653,79
    -23,11 (-3,41%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.638,85
    -56,22 (-0,84%)
     
  • HANG SENG

    30.159,01
    +711,16 (+2,41%)
     
  • NIKKEI

    28.822,29
    +190,84 (+0,67%)
     
  • NASDAQ

    13.465,75
    -9,75 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6380
    -0,0140 (-0,21%)
     

Conheça a 'Bolsocoin', a moeda virtual inspirada em Bolsonaro

(Paulo Lopes/Futura Press)
(Paulo Lopes/Futura Press)

Entre as milhares de moedas virtuais existentes no mundo, uma chama atenção por sua “homenagem”: a BolsoCoin. Criada no início do ano por apoiadores do candidato à presidência, Jair Bolsonaro (PSL), ela chegou a ser oferecida como a primeira criptomoeda “da direita alternativa e neonazista do Brasil”.

“O nome vem de Jair Bolsonaro, político brasileiro similar a [Donald] Trump”, explicam os criadores. Na verdade, a BolsoCoin é uma versão do LiteCoin, uma espécie de cópia da Bitcoin, a moeda virtual mais famosa do mundo que chegou a valer uma pequena fortuna, mas desabou nos últimos meses.

A moeda foi estaria sendo utilizada em fóruns anônimos como forma de pagamento para atividades chamadas de doxxing e swatting. A primeira diz respeito ao roubo de dados privados e sua transmissão a outras pessoas e a segunda é usada para uma espécie de trote a serviços de emergência. O objetivo da primeira é chantagear a pessoa, enquanto a segunda pretende apenas constranger a vítima.

Criador

A moeda, disponível na plataforma GitHub, foi criada pelo usuário psyclon, que se identifica em sua página como Marcelo Mello. Uma reportagem do jornal Correio Braziliense informa que trata-se de Marcelo Valle Silveira Mello, formado em ciência da computação e ex-estudante de letras da Universidade de Brasília (UnB), que já foi condenado por crimes de ódio na internet. Em março de 2012, ele foi preso por planejar uma chacina contra estudantes de Ciências Sociais da universidade.

Na época em que foi noticiado o surgimento da BolsoCoin, a assessoria de Bolsonaro não se pronunciou.