Mercado fechado

Conheça as histórias por trás do nome ‘Black Friday’

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Tábua de registro de preços da 'Sexta-feira negra' de 1869.
Tábua de registro de preços da 'Sexta-feira negra' de 1869.

“Sexta-feira negra”. De onde vem o termo que hoje é, em muitos países ocidentais, sinônimo de promoções em lojas, descontos e muito (muito!) consumo?

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Já houve no passado polêmicas sobre sua origem, inclusive uma teoria que circulou na internet de que ela teria raízes racistas, em uma suposta data nos Estados Unidos em que escravos negros eram vendidos por seus sequestradores com “desconto” nas preparações para o inverno no hemisfério norte.

Leia também:

A teoria chegou a mobilizar neste ano o Boticário a banir o uso do nome, segundo seu presidente explicou em um post no Linkedin:

“A dois meses da ‘Black Friday’ – um dos períodos mais relevantes do ano para o varejo e a data mais importante para o comércio eletrônico em todo o mundo, nos deparamos com um incômodo recorrente: há anos conversamos sobre a possível origem do termo ‘Black Friday’, sobre a ausência de dados científicos que comprovem que ele realmente não se relaciona à questão da escravatura. Então, respeitando os movimentos que sentem desconforto com o termo, decidimos parar de refletir e começar a agir – não teremos mais o termo Black Friday no Grupo Boticário.”

Mas, segundo uma reportagem da rede de notícias BBC sobre a origem desses boatos online, os primeiros registros do uso da expressão “Black Friday” são posteriores à abolição da escravatura nos Estados Unidos.

Os registros mais aceitos e reconhecidos dos primeiros usos do termo, no entanto, são também sombrios.

Segundo o Business Insider, o primeiro registro aparece no ano de 1869, portanto quatro anos após a abolição da escravatura nos Estados Unidos.

Ele se refere a um “crash” da economia dos Estados Unidos em 24 de setembro de 1869, quando o esquema de dois conspiradores, Jay Gould e James Fisk, para manipular o preço do ouro no mercado causou uma forte crise econômica que fez despencar valores de ações e produtos agrícolas, levando o país – que ainda se recuperava da Guerra Civil – a meses de caos econômico.

A sexta-feira em que estourou essa crise ficou conhecida como a “sexta-feira negra”.

Depois, quase um século mais tarde, o termo voltaria a ser usado pelos policiais de Filadélfia nos anos 1950 para designar uma data em que multidões de lojistas e turistas invadiam a cidade entre o feriado de Ação de Graças e de jogos organizados pela Marinha. O excesso de trabalho da polícia levava as autoridades a chamarem o dia de “sexta-feira negra”.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube