Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.031,98
    +267,72 (+0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.638,36
    -215,01 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,46
    -0,95 (-1,06%)
     
  • OURO

    1.794,10
    -4,00 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    24.090,68
    -277,56 (-1,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    571,71
    -19,05 (-3,22%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.509,15
    +8,26 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.040,86
    -134,76 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.800,46
    -71,32 (-0,25%)
     
  • NASDAQ

    13.663,25
    -18,00 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1785
    0,0000 (0,00%)
     

Conheça a espécie de peixe que usa biofluorescência para se comunicar

Uma espécie de peixe chamada lumpfish (Cyclopterus lumpus) chamou a atenção das redes sociais ao brilhar sob a luz UV e chegou a protagonizar um estudo publicado recentemente na revista científica Journal of Fish Biology. O artigo destaca que o peixe usa biofluorescência para se comunicar.

A biofluorescência é um fenômeno que ocorre quando o ser vivo absorve raios ultravioleta, geralmente invisíveis para as pessoas, e os reemite como cores visíveis. No entanto, a habilidade não deve ser confundida com a bioluminescência, na qual os animais produzem sua própria luz por meio de uma reação química.

Essa espécie de peixe vive no Oceano Atlântico e em partes do Oceano Ártico, podendo ser encontrada em uma variedade de cores, que mudam à medida que envelhece. No artigo em questão, os cientistas acreditam ter identificado a verdadeira cor do peixe: verde fluorescente.

Os especialistas ressaltam, ainda, que muitas espécies têm filtros especiais em suas córneas que lhes permitem ver a biofluorescência sem a ajuda da luz UV. A teoria é que os lumpfish estejam equipados com esses filtros, o que permitiria sinalizar para sua própria espécie e mesmo assim se esconder dos predadores.

Outra teoria é que o peixe também pode usar sua biofluorescência para atrair presas, mas o mais provável, conforme reconhecem os próprios autores do estudo, é que a habilidade seja utilizada principalmente para comunicação.

Quando filhotes, os peixes da espécie podem ter quase qualquer cor do arco-íris. Quando juvenis, a cor de sua pele passa a combinar com o ambiente, ajudando a escondê-los dos predadores. Mas quando atingem a idade adulta, os lumpfish desenvolvem uma pele cinza pálida a azul clara que muda durante a época de reprodução, quando os machos ficam vermelho-alaranjado e as fêmeas ficam azul-esverdeadas.

Como e por que a biofluorescência evoluiu em lumpfish ainda permanece um mistério, mas o artigo já fornece um primeiro passo rumo à compreensão das habilidades desse fascinante animal.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos