Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    55.162,41
    +24,68 (+0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Conheça 5 fatos curiosos sobre a eletricidade

·3 min de leitura

Tão essencial para a sociedade moderna, a eletricidade é um conjunto de fenômenos que ocorrem por conta do desequilíbrio ou movimentação de cargas elétricas. Entre eles, os mais comuns são os relâmpagos, a eletricidade estática e a corrente elétrica. No entanto, existem algumas curiosidades sobre a eletricidade que, talvez, você não conheça.

Basicamente, a eletricidade é uma forma de energia que se dá pelo acúmulo ou fluxo de partículas elétricas. Quando ela se acumula, é chamada eletricidade estática e, quando se move, vira a corrente elétrica. É quase impossível imaginar a vida moderna sem os benefícios da eletricidade, não é mesmo?

Então confira, nesta matéria, 5 curiosidades sobre a eletricidade.

Na velocidade da luz

(Imagem: Reprodução/Johannes Plenio/pexels)
(Imagem: Reprodução/Johannes Plenio/pexels)

Quando acionamos o interruptor, a lâmpada parece acender quase instantaneamente e, por isso, é natural pensarmos que os elétrons se movimentam a uma altíssima velocidade — mas não é bem assim que tudo acontece. Na verdade, os elétrons possuem uma velocidade baixa.

O que acontece é que, ao pressionar o interruptor, forma-se um campo elétrico que se movimenta pelo fio na velocidade da luz, que é de quase 300 mil km/s. Este processo faz com que praticamente todos os elétrons presentes no fio sejam "arrastados" quase que instantaneamente.

Ninguém a descobriu

Em toda atmosfera da Terra, estima-se que, a cada segundo, ocorram 50 descargas elétricas (Imagem: Reprodução/NASA)
Em toda atmosfera da Terra, estima-se que, a cada segundo, ocorram 50 descargas elétricas (Imagem: Reprodução/NASA)

Desde que o mundo é muito, a eletricidade existe — ela não é sequer uma exclusividade do nosso planeta. Por se tratar de um fenômeno natural e universal das partículas elétricas, a eletricidade se manifesta muito antes de nossa espécie dominar o fogo — na verdade, muito antes da Terra sequer existir. Por sinal, algumas pesquisas indicam que os relâmpagos na Terra primitiva possam ter sido uma peça fundamental para acionar a “sopa” de elementos químicos dos quais a vida parece ter surgido.

Algumas mentes brilhantes, como Thomas Edison e Nikola Tesla, são comumente atribuídos como os "pais" da eletricidade. Na verdade, eles foram os pioneiros na compreensão dela e em sua manipulação e, por isso, merecem tal título. Mas eles não "descobriram" a eletricidade.

Brasil, o país dos raios

(Imagem: Reprodução/Johannes Plenio/Pexels)
(Imagem: Reprodução/Johannes Plenio/Pexels)

Segundo dados do Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Brasil é o país com maior incidência de descargas elétricas no mundo. Com tamanho continental e o clima dos trópicos sendo quesitos favoráveis às tempestades, o território brasileiro registra, em média, 77,8 milhões de descargas elétricas ao ano.

Estima-se que anualmente ao menos 300 brasileiros sejam atingidos por descargas elétricas da atmosfera. A cada três vítimas, uma é fatal. Só entre 2000 e 2019, foram registradas 110 mortes.

Potência dos raios

(Imagem: Reprodução/Andre Furtado/pexels)
(Imagem: Reprodução/Andre Furtado/pexels)

O atrito das cargas positivas e negativas presentes nas nuvens produz energia que passa a se acumular nelas. Quando há um excesso de cargas positivas ou negativas, esse excedente é liberado e, então, dá origem ao raio. Um único fenômeno do tipo pode percorrer até 5 km de distância e gerar até 30 mil ampère — quase mil vezes a intensidade de um chuveiro elétrico.

Os raios são fenômenos bem rápidos, podendo durar até dois segundos, no máximo. Em geral, uma descarga elétrica dura cerca de meio a um terço de segundo. É justamente por isso que, apesar de toda sua potência, um raio tem pouca energia, que é de aproximadamente 300 kWh — o suficiente para suprir uma pequena casa durante um mês.

Presente no corpo

(Imagem: Reprodução/Domínio Público)
(Imagem: Reprodução/Domínio Público)

As funções do corpo humano são acionadas por meio de estímulos, sejam eles voluntários ou involuntários. O coração bate, por exemplo, devido às correntes elétricas que fazem o músculo cardíaco se contrair, normalmente, de 60 a 90 vezes por minuto — e, assim, bombear o sangue para todo o corpo.

O eletrocardiograma (ECG) é usado pela medicina para medir o fluxo de energia no coração de um paciente. Na verdade, este potencial elétrico produzido pelo músculo cardíaco é o resultado do acúmulo de uma pequena quantidade de eletricidade produzida pelas células cardíacas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos