Mercado fechará em 5 h 43 min

Conheça 3 recursos do Android 11 que não devem chegar a todos os celulares

Rubens Eishima

Cada nova versão do Android traz uma série de novidades em visual, usabilidade e recursos, mas algumas não são implementadas pelos fabricantes. O site XDA Developers listou três novos recursos do Android 11 que não devem estar em todos os celulares com o novo sistema.

O motivo para que algumas características do sistema operacional fiquem de fora dos smartphones é porque nem todas são obrigatórias. O Google define uma série de requisitos em um documento conhecido como Compatibility Definition Document (CDD, documento de definição de compatibilidade, em tradução direta), que lista os critérios para que um aparelho seja declarado compatível com o Android — isso permite o uso dos apps do Google Mobile Services (Play Store, YouTube, Mapas etc.).

Alguns dos recursos opcionais do Android incluem o uso de múltiplas contas de usuário, que mesmo em tablets não é amplamente oferecido até hoje, e o sistema de atualizações ininterruptas lançado no Android 7 (Nougat), que pode ser definido como obrigatório na versão 11.

Conversas nas notificações

Provavelmente a mudança mais visível para a maioria dos usuários, as novas notificações de mensagens vão agrupar os alertas dos aplicativos de comunicação em uma seção destacada dos demais avisos de sistema. Cada conversa poderá ser identificada pela foto de perfil do contato no app, facilitando a busca por mensagens específicas.

Notificações de mensagens poderão ser exibidas acima dos outros alertas (imagem: Google)

A novidade, porém, será opcional para os fabricantes de smartphones, que poderão deixar o recurso de fora de suas personalizações. Além disso, o uso de bolhas de conversa para acesso rápido aos seus contatos mais frequentes também ficará a critério das marcas.

Controle de dispositivos

Outro destaque apontado pelo Google para o Android 11, a opção de controlar dispositivos de automação da casa também não será obrigatória para os fabricantes de celulares. A novidade funciona com o pressionamento longo do botão de energia do celular e exibe um painel para controle de luzes, portas, temperatura e dispositivos compatíveis.

Pressionamento longo do botão de energia do celular permite controlar luzes, portas e dispositivos conectados da casa (imagem: Google)

Nesse caso, o funcionamento do recurso poderia entrar em conflito com outros atalhos já associados ao botão. Além disso, alguns fabricantes devem priorizar seus sistemas de automação já existentes, caso do Samsung SmartThings, LG ThinQ e Xiaomi Mi Home.

Armazenamento de documentos

O Android 11 trará um recurso para armazenamento seguro de documentos no celular, por exemplo identidade, carteira de motorista (CNH) e outros. Para adotar o recurso, porém, é preciso antes que o celular possua um processador compatível com um sistema de execução segura de aplicativos (TEE, na sigla em inglês).

Um dos empecilhos é que a utilidade do recurso depende não só dos fabricantes como também das leis de cada país para que o documento armazenado no aparelho seja reconhecido como válido pelas autoridades. O esforço para que os fabricantes adotem o sistema será em vão até que os governos aceitam o recurso, e isso pode não acontecer até uma diponibilidade ampla do recurso.

Ainda podem mudar

Vale lembrar, porém, que as definições de recursos obrigatórios para o Android podem ser alteradas até o lançamento da versão estável do sistema, esperado para a metade do segundo semestre de 2020.


Fonte: Canaltech