Mercado abrirá em 2 h 12 min

Confusão em leilão faz quadro de Van Gogh ser vendido três vezes em 1h

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
O quadro que levantou dúvidas no mercado das artes
O quadro que levantou dúvidas no mercado das artes
  • Maior lance foi de 14 milhões de euros (R$ 95 milhões)

  • Quadro pertencia à mesma família por mais de um século.

  • Sistemas diferentes podem ter causado confusão no leilão

A venda de uma pintura de Vincent van Gogh tinha tudo para quebrar recordes, mas uma confusão nos sistemas fez a peça ser vendida três vezes em menos de uma hora com três etiquetas de preços diferentes. A confusão lançou uma sombra sobre o leilão e pode até ter atraído a atenção das autoridades policiais francesas.

Com uma estimativa modesta de faturar 5 milhões de euros (R$ 33 milhões), a obra nunca havia sido exibida e só se sabia de sua existência por meio de uma fotografia em preto e branco. Pintado em 1887, quando Vincent morava em Paris, o quadro pertenceu à mesma família por mais de um século.

Disputa milionária

Uma disputa entre dois compradores, ambos por telefone, terminou com um lance de 13 milhões de euros (R$ 88 milhões), com direito a martelo e o anúncio de “vendido”. Logo em seguida, os organizadores se retrataram, dizendo que uma oferta on-line ofereceu 14 milhões de euros (R$ 95 milhões)

Novamente, o martelo bateu e o quadro foi vendido para o comprador da internet. Passados 30 minutos, a casa de leilão reabriu a venda da obra e um cliente de Londres, via telefone, adquiriu a pintura por 11,25 milhões de euros (R$ 76,5 milhões).

Mas, 30 minutos depois, sem explicação, foi anunciado que o leilão seria reaberto. O comprador que deu o lance on-line não foi encontrado e a a licitação parou nos 11,25 milhões de euros oferecidos pelo cliente ao telefone em Londres.

O comprador do lance e 13 milhões de euros negou ter feito uma oferta e afirmou que não tinha capacidade financeira para arcar com o preço. O responsável pela venda, o leiloeiro Fabien Mirabaud, não quis comentar, mas disse que “fará tudo o que for necessário para proteger os interesses da família”.

Em caso de inadimplência do comprador, o lote poderá ser colocado novamente em leilão, mas somente com o consentimento formal do vendedor. E, caso o preço final de venda seja inferior ao lance, o comprador inadimplente deverá pagar a diferença.