Mercado abrirá em 4 h 28 min
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,50
    +0,42 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.780,00
    -3,40 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    33.023,02
    -1.104,68 (-3,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    798,88
    -11,32 (-1,40%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.093,09
    +19,03 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    28.882,46
    +65,39 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.875,23
    +0,34 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.342,00
    +79,00 (+0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9329
    +0,0044 (+0,07%)
     

Conflito em Israel e Gaza segue intenso apesar de diplomacia regional e envolvimento dos EUA

·1 minuto de leitura
Fumaça em Gaza após ataque aéreo de Israel

Por Nidal al-Mughrabi e Rami Ayyub

GAZA/TEL AVIV (Reuters) - Israel continuava esmagando Gaza com ataques aéreos na segunda-feira e militantes palestinos lançavam seus foguetes em direção às cidades israelenses apesar da intensificação das atividades diplomáticas regionais e dos Estados Unidos, que até agora ainda não conseguiram suspender os violentos conflitos.

Os ataques de mísseis de Israel ao populoso enclave palestino mataram um importante comandante do grupo Jihad Islâmica e deixaram uma cratera no lugar onde antes estava um edifício de sete andares que, segundo Israel, era utilizado pelo grupo islâmico que comanda Gaza, o Hamas.

"A diretiva é continuar atacando os alvos terroristas", disse o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, após uma reunião com líderes militares. "Vamos continuar agindo como for necessário para restaurar a paz e a segurança a todos os moradores de Israel."

A ala armada do Hamas prometeu mais foguetes como resposta: "O inimigo sionista criminoso intensificou o bombardeio a casas e apartamentos residenciais nas últimas horas, e portanto, alertamos o inimigo que se não cessasse imediatamente, retomaríamos o fogo contra Tel Aviv", disse o porta-voz Abu Ubaida.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em um telefonema com Netanyahu na segunda-feira, expressou seu apoio a um cessar-fogo no conflito, segundo informou a Casa Branca em nota.

"O presidente expressou seu apoio a um acordo de cessar-fogo e discutiu o engajamento dos EUA com o Egito e outros parceiros para chegar a esse fim", informou a nota.

Autoridades de saúde em Gaza afirmaram que o número de palestinos mortos desde o início das hostilidades na semana passada chegou a 212, incluindo 61 crianças e 36 mulheres. Dez pessoas foram mortas em Israel, entre elas duas crianças.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos