Confiança do setor da construção recua, segundo FGV

A Sondagem da Construção, medida pela Fundação Getulio Vargas (FGV), apresentou melhora em novembro em relação a outubro. Como divulgado nesta quarta-feira, o Índice de Confiança da Construção (ICST) fechou novembro em queda de 3,1% na média trimestral em relação ao mesmo período do ano anterior, contra -5,1% em outubro. Com o resultado, o ICST manteve a tendência de recuperação iniciada em agosto passado.

De acordo com a FGV, a melhora relativa do ICST se deu nos principais segmentos monitorados pela pesquisa, com destaque para Aluguel de Equipamentos, com variação positiva de 5,4% ante -4,6% no mês anterior, e Obras de Infraestrutura para Engenharia Elétrica e para Telecomunicações, cuja variação do índice de confiança passou a -9,9%, na comparação com -14,5% no mês anterior.

De seis grandes segmentos da pesquisa, o único a apresentar piora foi Preparação do Terreno, com variação de -6,8%, ante -5,4% em outubro. Houve avanço na percepção em relação ao momento atual quanto nas expectativas para os meses seguintes, de acordo com a FGV. A variação interanual trimestral do Índice da Situação Atual (ISA-CST) foi de -2,8% em novembro, contra -5,5% em outubro. No mesmo período e base de comparação, a variação do Índice de Expectativas (IE-CST) foi de -3,4% em novembro, ante -4,7%, em outubro.

O quesito situação atual dos negócios foi o que mais contribuiu para a alta do ISA-CST no trimestre encerrado em novembro. A variação interanual do indicador trimestral desse item foi de -3,1% em novembro, na comparação com -6% em outubro.

Das 701 empresas consultadas, 29,8% avaliaram que a situação se encontra boa no trimestre encerrado em novembro, contra 33,4% no mesmo período de 2011; por outro lado, 9,9% consideraram que a situação se encontra ruim, ante 9,7% em outubro.

Segundo a FGV, o quesito que mede o grau de otimismo com a tendência dos negócios no horizonte de seis meses foi o que exerceu maior influência na melhora do IE-CST. A variação interanual trimestral do item foi de -1,6%, contra -3,2% em outubro. A proporção de empresas prevendo aumento na demanda foi de 39,7%, ante 42,3% em outubro de 2011, enquanto a parcela das que esperam diminuição passou de 5,4% para 5,0% do total.

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,1098+0,0486+1,59%
    USDBRL=X
    3,2821+0,0442+1,37%
    EURBRL=X
    0,9472+0,0023+0,24%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    31,51-0,14-0,44%
    VALE5.SA
    15,18-0,38-2,44%
    PETR4.SA
    4,93-0,10-1,99%
    USIM5.SA
    5,86+0,15+2,63%
    GOAU4.SA
    16,40-0,52-3,07%
    LAME4.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    10,89+1,29+13,44%
    TEKA4.SA
    4,18+0,45+12,06%
    BEES4.SA
    4,24+0,43+11,29%
    LFFE3.SA
    7,41+0,71+10,60%
    CRPG5.SA
    28,00+2,60+10,24%
    BRSR3.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    16,01-3,99-19,95%
    ITEC3.SA
    1,14-0,25-17,99%
    IGBR3.SA
    0,69-0,11-13,75%
    BBTG12.SA
    29,00-4,00-12,12%
    CEED3.SA
    3,33-0,45-11,90%
    CEDO4.SA