Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.177,55
    -92,52 (-0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    55.164,01
    +292,65 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,10
    +0,95 (+1,19%)
     
  • OURO

    1.929,70
    -12,90 (-0,66%)
     
  • BTC-USD

    23.044,90
    -359,00 (-1,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    523,89
    -3,30 (-0,63%)
     
  • S&P500

    4.060,43
    +44,21 (+1,10%)
     
  • DOW JONES

    33.949,41
    +205,57 (+0,61%)
     
  • FTSE

    7.761,11
    +16,24 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    22.566,78
    +522,13 (+2,37%)
     
  • NIKKEI

    27.362,75
    -32,26 (-0,12%)
     
  • NASDAQ

    12.060,50
    +187,25 (+1,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5196
    -0,0192 (-0,35%)
     

Confiança do investidor alemão fica positiva pela 1ª vez desde guerra na Ucrânia, mostra ZEW

BERLIM (Reuters) - A confiança do investidor alemão atingiu território positivo em janeiro pela primeira vez desde o início da guerra na Ucrânia, já que os sinais apontam para uma recessão mais branda nos meses de inverno (no hemisfério norte) do que o inicialmente previsto, disse o instituto de pesquisa econômica ZEW nesta terça-feira.

O índice de confiança econômica do instituto subiu para 16,9, de -23,3 em dezembro, superando as expectativas de analistas consultados pela Reuters de uma leitura de -15,0.

"Pela primeira vez desde fevereiro de 2022, mês em que começou a guerra na Ucrânia, o indicador aponta para uma melhora perceptível na situação econômica nos próximos seis meses", disse o presidente do ZEW, Achim Wambach.

Wambach disse que uma situação mais favorável nos mercados de energia e as medidas de alívio do governo alemão, em particular, contribuíram para o salto de 40,2 pontos do índice em janeiro.

A perspectiva de redução da inflação elevou as expectativas para os setores relacionados ao consumo, enquanto o abandono das restrições contra a Covid-19 na China melhorou o cenário para os setores orientados para a exportação e intensivos em energia, acrescentou.

A inflação alemã diminuiu ainda mais em dezembro, com os preços ao consumidor subindo 9,6% na base anual em termos harmonizados, disse o escritório federal de estatísticas, após uma taxa de inflação anual harmonizada de 11,3% em novembro e 11,6% em outubro.

O indicador que mede as condições atuais se recuperou ligeiramente em janeiro, subindo para -58,6, de -61,4.

O escritório federal de estatísticas disse na semana passada que a economia da Alemanha deve ter estagnado no quarto trimestre do ano passado e crescido 1,9% no ano, sugerindo que a maior economia da Europa pode escapar de uma recessão durante o inverno.

(Reportagem de Miranda Murray, Maria Martinez e Rachel More)